Um casal gay em Banda Aceh, Indonésia, foi arrastado à força de suas casas para uma delegacia de polícia e agora corre o risco de ser chicoteado 100 vezes em praça pública por causa de sua “orientação sexual ilegal”.

Sinalizando a profundidade da raiva sentida em relação às pessoas LGBT+ na república, uma multidão de moradores invadiu a casa do casal gay Mu de 26 anos e Ta de 34 anos no bairro de Kuta Alam em 14 de novembro.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

De acordo com a AsiaNews, a dupla será agora julgada por um tribunal corânico na capital provincial nos próximos 20 dias. As disposições do código penal islâmico da província, o Qanun Jinayat, também significam que os homens enfrentam uma pena máxima de prisão de oito anos, bem como multa de um quilo em ouro.

VEJA TAMBÉM:  Vídeo: Casal gay é agredido por evangélica: "vão comprar uma bu***"

A província é o único pedaço da Indonésia onde a lei da Sharia é imposta, tornando-se um vácuo para os direitos LGBT+ onde fundamentalistas que apoiam a sharia detêm o poder.

Se condenado pelos tribunais, provavelmente reabrirá feridas inflamadas entre os indonésios queer e ativistas estrangeiros. Em 2017, dois gays com apenas 20 e 23 anos foram condenados a serem açoitados na frente do público em Aceh.

Casal gay recebe apoio da Human Rights

Chefes do Human Rights Watch, um dos maiores grupos de defesa LGBT+ do mundo, apelaram ao presidente da Indonésia, Jokowi Widodo, para banir a punição: “O tempo está passando para Jokowi demonstrar que seu apoio à igualdade de direitos para todos não é uma retórica vazia”, disse o vice-diretor da Human Rights Watch para a Ásia.