O casal Laura Coelho e Lorrana Araújo receberam um bilhete com ameaças na porta de casa. A mensagem as chamava de “sapatão” e ameaçava incendiar o carro que elas usam. O caso de lesbofobia ocorreu em Itabuna, na Bahia.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Se mude. Avizo (sic), sapatão. Dois dias de aviso. Vou tocar fogo nesse carro vermelho. Cuidado”, dizia o bilhete endereçado a elas.

Em entrevista ao G1, as namoradas, que dividem o apartamento com uma amiga, contaram que estavam comemorando o aniversário da amiga quando foram avisadas pela vizinha da presença do bilhete.

“O bilhete estava colado na porta de entrada do prédio, na parte interna. Pegamos o bilhete e subimos. Ficamos muito chocadas e pensamos em quem poderia ter feito isso, mas não conseguimos pensar em ninguém, porque sempre tivemos uma ótima convivência com as pessoas aqui. A gente chorou de medo, pensando no que poderia estar acontecendo”, relatou Laura.

Lorrana (esquerda), Laura (centro) e a amiga Miriam (direita)

O casal, ao lado da amiga, registraram um boletim de ocorrência. O caso foi descrito como injúria, que prevê pena de um a seis meses de detenção, além de aplicação de multa. Na delegacia elas foram orientadas a prestar queixa também na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, o que as três pretendem fazer.

“A gente está com muito medo. Porque não fazemos ideia de quem seja essa pessoa, mas deve ser alguém que mora por aqui, que vê a gente juntas. Mas não sabemos a cara da pessoa. A gente já estava ficando em casa, mas agora fecha as janelas dos quartos, com medo de ter alguém olhando. A gente está ficando em casa o tempo todo. Desde que ocorreu, só saímos para ir na delegacia, acompanhadas de outras pessoas. Porque sozinha a gente não saiu”, explicou Laura.

Laura acrescentou que: “Querendo ou não, a pandemia deixa a rua mais vazia e mais propícia de acontecer algum ataque. Quanto mais a gente pensa, mais gente fica preocupada”.

Fotos: Divulgação/ G1

VEJA TAMBÉM:  Ex-pastor que já foi homofóbico pede perdão à comunidade LGBT