Um adolescente tirou a própria vida depois que os agressores que estudam na sua o atacaram por ser gay e autista.

Cameron Warwick, de apenas 16 anos, vivia em Fareham, Hampshire, no sul da Inglaterra. Ele não apareceu mais no colégio por dias até que foi encontrado morto em Fort Fareham Woods.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Sua mãe, Kerry Warwick, disse que ele se entendeu gay aos 12 anos. Ele sofria de depressão e era alvo constante de bullying na escola: “Eles o intimidavam ou o isolavam”, contou ela.

No tribunal, ela ainda revelou que Cameron lutava para lidar com o bullying e reagiu a tudo através desta  auto-agressão, se suicidando. Ele já havia tentado suicídio em 2017.

“Eles jogavam coisas como comida nele, tropeçavam no corredor e o chamavam de nomes horríveis”, disse a mãe.

Resultado de imagem para Cameron Warwick
Cameron e a mãe.

Cameron também terminou um relacionamento on-line com Christopher Robertson, de 18 anos, até pouco antes de sua morte. O rapaz disse em depoimento ao tribunal: “Eu acredito que Cameron foi incansavelmente agredido na escola por outros estudantes só por ser gay”.

VEJA TAMBÉM:  "Se você não gosta de gay, não precisa bater. Só não comer", explica psicóloga ao comparar jiló com homofobia

Ainda segundo relatos de colegas, recentemente ele se sentiu sobrecarregado pelo estresse nos exames e não conseguiu a nota de matemática que precisava para se matricular em um curso de Games da faculdade. Sua mãe tentou tranquilizá-lo lembrando que ele havia passado em outras matérias, mas disse que não conseguia enxergar além de sua nota de matemática.

O pai de Cameron também prestou homenagem ao filho, que chamou de “muito amado, doce e gentil”: “Sua doença tornou impossível para ele continuar vivendo em um mundo que ele não entendia porque fazia tão pouco esforço para acolhê-lo”, afirmou no tribunal.

O novo diretor da Fareham Academy disse que não estava no cargo quando Cameron estava na escola no ano passado, mas insistiu que a instituição tinha uma política ‘robusta’ anti-bullying. Não parece, né?

VEJA TAMBÉM:  Conservador que dizia que “ser gay é pecado” é descoberto no Grindr e exposto na Internet
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).