Em um relato publicado na Internet, o jovem Luiz Oliveira, natural de Porto Alegre (RS), contou sobre os momentos de terror que passou em sua curta estadia no Marrocos, onde acabou sendo detido e então deportado simplesmente por ser gay.

Conforme seu relato no Facebook, Luiz estava retornando para o Egito, onde esteve em 2015, e pela escala que faria, teria que passar dois dias no Marrocos, onde inclusive já tinha agendado um hostel para se hospedar.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Na imigração, como era de se esperar, fizeram diversas perguntas. Ele começou a estranhar quando o chamaram para uma sala reservada e pediram seu celular para averiguações. Ao verem suas fotos com seu ex-namorado brasileiro, foi que o inferno começou.

VEJA TAMBÉM:  Israel registra aumento de 27% na violência contra jovens LGBTs durante quarentena

“Fui proibido de ligar para minha família, amigos, embaixada do Brasil, fiquei dias sem comer, fui absurdamente humilhado, sofri tortura psicológica, fiquei em uma cela com traficantes do Iraque em Casablanca. Foi a pior experiência da minha vida”, disse ele no post que alcançou mais de 19 mil likes e teve mais de mil compartilhamentos.

A imagem pode conter: desenho
O visto de entrada com carimbo de “cancelado”, colocado em sua deportação.

Ainda relatando sua experiência, ele contou ao Põe Na Roda: “Eu não pude entrar em contato com a embaixada do Brasil. Eles foram muito perversos comigo, pois quando queriam alguma informação de mim falavam em Inglês, mas quando eu exigia meus direitos eles fingiam não entender o que eu falava”.

VEJA TAMBÉM:  David Miranda encaminha à PF ameaças de morte recebidas contra ele e sua família

Pra quem não sabe, no Marrocos ser homossexual é ilegal e pode render pena de prisão, assim como em outros 33 países da África e outros 23 da Ásia, as regiões mais conservadoras do mundo.

O post original de Luiz em um grupo fechado do Facebook.

Ainda falando ao Põe Na Roda, o jovem explicou o motivo pelo qual acredita que as autoridades tenham desconfiado de sua sexualidade: o nome do Hostel onde ele ficaria. Isso mesmo, uma coincidência infeliz.

“Eu ía ficar em um hostel chamado Kif-Kif. Eu não sabia que existia uma ONG LGBT com o mesmo nome no Marrocos. Eles associaram o nome do hostel à ONG e então quiseram saber se eu era LGBT”, contou ele.

VEJA TAMBÉM:  Cantora trans Raquel Virginia é chamada de “puta” por segurança do Shopping Bourbon em SP

E de fato, na Internet pesquisando há a ONG LGBT marroquina Kif-Kif e também o hostel de mesmo nome.

Após desembarcar no Brasil, traumatizado após os dias detido no Marrocos, Luiz procurou o Itamaraty e o Ministério Público Federal, o que lhe rendeu apenas um pedido de desculpas das autoridades marroquinas e nada mais.

Fica o alerta à quem for LGBT: é sempre bom ficar muito ligado aos países que visita ou faz escala. Em 70 deles infelizmente ainda é ilegal ser homossexual.

Saiba mais no vídeo abaixo:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).