A atriz brasileira Renata Carvalho, de 40 anos, foi a selecionada entre 20 concorrentes para uma bolsa de US$ 7 mil, convertida em cerca de R$ 36 mil por seu trabalho focado na questão do corpo transexual. Carvalho afirma que a bolsa de US$ 7 mil, equivalente a R$ 36 mil, a permitirá viver um “ano de tranquilidade” pela primeira vez em muitos anos.  As informações são do G1.

“Ainda mais neste momento, onde é muito difícil atuar na arte e ser uma travesti no Brasil”. Renata foi expulsa de casa ainda jovem e se viu obrigada a se prostituir para sobreviver. A artista conciliava o trabalho nas ruas com os serviços temporários em um salão de beleza, tudo para conseguir se manter no curso de teatro.

Carvalho chegou a se afastar dos palcos no período de “percebimento” – termo que prefere utilizar, ao invés de transição -,mas continuou atuando como diretora, roteirista e dramaturga, conforme relatou ao G1.

Brasileira é selecionada para bolsa internacional por projeto sobre corpo trans
Brasileira é selecionada para bolsa internacional por projeto sobre corpo trans (Foto: Reprodução / Instagram)

“Meu corpo era feminino demais para os papéis masculinos. O corpo travesti sofre censura e é expulso de todos os lugares. Ter um trabalho dentro da arte, de permanência, é uma luta constante”, desabafa a atriz.”

Renata Carvalho foi indicada à bolsa pela dançarina Lia Rodrigues.Ela concorreu com 20 pariticpantes e se classificou entre as três finalistas. Além dela, foram premiados o escritor Shawon Akand, de Bangladesh, e a cineasta Sevinaz Evdike, da Síria.

Fruto dos anos de trabalho, luta e dedicação, a brasileira produziu o média-metragem Corpo: sua autobiografia’, onde fala sobre um corpo em isolamento social e familiar. Renata planeja que a produção se torne um longa-metragem ainda este ano. Outro projeto que a artista deve tirar do papel é o monólogo “Manifesto Transpofágico” em um livro pela editora Cobogó.