Bianka Rodriguez, mulher trans, de 26 anos, recebeu, nessa quarta-feira (18), um prêmio regional das Américas, da Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), devido a sua luta pelos direitos da comunidade trans em El Salvador.

O Prêmio Nansen de Refugiados da Acnur foi entregue durante uma cerimônia que aconteceu na capital do país, San Salvador.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A embaixadora norueguesa, Rut Krüger Giverin, que atua em El Salvador, disse que Rodriguez é uma “feroz e destacada promotora dos direitos humanos”.

Bianka Rodriguez na cerimônia do Nansen Refugee Award — Foto: Reprodução

“Vivemos em uma situação em que a sociedade em geral nos discrimina e o estado nos discrimina”, disse Bianka, ao site da Acnur. “A única opção que resta é tentar sobreviver em um país que nos nega nossos direitos”, completou ela.

El Salvador possui um dos maiores índices de violência no mundo e, particularmente, é um país perigoso para a comunidade LGBTQ+; as pessoas trans enfrentam um risco ainda maior.

Em 2018, 14 pessoas trans foram assassinadas no país.

Nos primeiros seis meses de 2019, a Associação de Comunicação e Treinamento de Mulheres Trans em El Salvador (Comcavis) registrou 44 casos de pessoas trans que precisaram ser realocadas de sua região e até de país.