Avenida Brasil é sem dúvida um dos maiores sucessos em teledramaturgia do Brasil. Além disso, a produção de João Emanuel Carneiro foi reproduzida em diversos países em todo o mundo.

Na época de exibição da trama, em 2012, temas que envolvessem a comunidade LGBT eram poucos retratados na TV. No entanto, de acordo com o autor do folhetim, ele gostaria de ter desenvolvido melhor o único personagem gay da história.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Tem o personagem do gay que eu queria ter desenvolvido mais, do Roni (vivido por Daniel Rocha). Não deu tempo nem teve espaço para ele, mas eu queria ter dado mais espaço”, disse ele, nesta semana, em entrevista ao jornal O Globo.

VEJA TAMBÉM:  "Aberto a tudo", diz Malvino Salvador sobre romance gay com Caio Castro em novela

Ainda ao veículo, o autor afirmou não ter certeza se a trama seria sucesso no Brasil atual, devido ao péssimo momento que a economia atravessa no país. “Brasil estava num outro momento histórico, político, econômico. Bem mais ufanista, vamos dizer assim. Avenida Brasil refletiu as aspirações todas dessa classe C que veio à tona naqueles anos todos, com o boom econômico”, declarou.

E finalizou: “Uma coisa de que eu me lembro é que na época diziam que não tinha rico de novela. O rico era o jogador de futebol que morava no subúrbio. É uma novela muito antenada com aquele momento específico. Não sei nem se hoje, se fosse exibida no horário nobre, faria tanto sucesso. É uma pergunta que eu me faço“, encerrou.

VEJA TAMBÉM:  Félix retorna em 'A Dona do Pedaço' pra celebrar casamento de Agno e Leandro