Chacota entre LGBTs, o maquiador Augustin, que chocou a todos de bom senso ao declarar apoio ao presidenciável e homofóbico assumido Jair Bolsonaro, finalmente conseguiu realizar o sonho de sua síndrome de Estocolmo: se encontrar com o candidato.

Após ter sido sido rejeitado na primeira tentativa, o maquiador insistiu no erro e desta vez conseguiu realizar o feito. Mas parece que nem tudo saiu conforme o planejado.

Registro do encontro entre oprimido e opressor. Augustin, Jair Bolsonaro e o cantor Eduardo Costa, que recentemente foi acusado de agredir a esposa.

Após gravar um vídeo de 15 segundos onde mostrava a todos seus seguidores que Bolsonaro o tratava como gente e nem cuspia na sua cara -embora já tenha dito frases como “se eu ver dois gays vão bater” e afirmado que “sangue de homossexual é inferior ao seu” – Augustin teve a ousadia – do alto de toda sua falta de noção – de apertar a bochecha do presidenciável.

Augustin tenta fazer a íntima e acaba repreendido pelo presidenciável.

Acontece que, segundo informações do portal Mixturando, logo após a atitude, ele foi repreendido pelo próprio Bolsonaro: “Olha, não faça isso de novo, ok? Pra continuar um clima agradável entre a gente. Nem meus filhos fazem isso!”, disse o presidenciável deixando claro o que já disse outras vezes com todas as letras: “Que gay ninguém gosta, apenas tolera!”.

Na Internet, o relato da repreensão, é claro, já virou mais motivo chacota sobre Augustin. Depois do climão, o encontro que deveria durar toda a tarde, foi inexplicavelmente abreviado e ele teve que ir embora.

Mesmo após o mico, Augustin exibiu com orgulho o registro do momento em seu Instagram, onde escreveu: “Foto opressora com o nosso presidente”. E claro que ele não falou nada sobre o ocorrido em suas redes sociais.

Parabéns pela coragem, porque noção…

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).