Nesta semana, o site New York Daily News noticiou o falecimento da atriz e mulher trans Daphne Dorman, 44 anos. De acordo com o veículo, a norte-americana cometeu suicídio.

Antes te tirar a própria vida, a atriz deixou uma carta aberta publicada por meio de sua conta no Facebook. A mensagem de despedida tem chamado muita atenção em todo mundo.

“Eu sinto muito”, lamenta. “Eu já pensei muito sobre isso essa manhã. Como você diz ‘adeus’ e ‘sinto muito’ e eu te amo’ para todas as almas lindas que você conhece? Pela última vez. Não há uma solução boa. Foi o que concluí de todos os meus pensamentos. Para aqueles que estão bravos comigo: por favor, me perdoem. Para aqueles que acham que falharam comigo: vocês não falharam. Para aqueles que acreditam que eu tenha falhado com eles: eu falhei, eu peço desculpas e espero que vocês se lembrem de mim em momentos melhores e de forma mais iluminada”, escreveu.

E continuou: “Eu amo todos vocês. Eu sinto muito. Por favor ajuda a minha filha, Naia, a compreender que nada disso é culpa dela. Por favor lembrem a ela que eu a amei com todas as fibras da minha existência”, encerrou Dorman.

Em sua carreira, Dorman trabalhou com televisão por um breve período no início de sua vida profissional e tinha uma longa trajetória como artista de comédia stand-up e atriz de teatro. Além disso, ela era uma famosa ativista LGBTQ+ nos EUA.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Vale lembrar que, o suicídio é uma das causas que mais matam LGBTs em todo mundo. Normalmente, os casos ocorrem por conta das vítimas desenvolverem depressão, devido a fatores como não aceitação da família, bullying, isolamento social e até mesmo discriminação por meio de discurso religioso.

Caso você — ou alguém que você conheça — precise de ajuda, ligue 188, para o CVV – Centro de Valorização da Vida, ou acesse o site. O atendimento é gratuito, sigiloso e não é preciso se identificar.