A nova webcelebridade, Ana Carolina Apocalypse, felizmente foi poupada de um cancelamento.

Tudo aconteceu por conta de seu novo visual. Sempre postando de um jeito extremamente fofo e gentil, Ana mostrou aos seus seguidores suas novas tranças, provavelmente não dela, mas do boné que usava fazendo graça.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Não precisou de muito pra surgirem alguns brancos sem noção e radfems no post sugerindo um cancelamento de Ana Carolina, afinal, ela estava usando tranças, o que em muitas pessoas brancas é visto como uma apropriação cultural da cultura negra (curiosamente estas – brancos e radfem – são as mesmas pessoas que reclamam de mimimi quando é problematizado algum branco usando trança, agora, no caso de uma mulher trans idosa, pedindo isso! Ora, ora…).

Sensatos, muitos ativistas trans e do movimento negro se manifestaram defendendo o direito de Ana Carolina Apocalypse, uma mulher trans idosa e que recém transicionou em sua vida, de poder usar tranças sim e fazer mais o que mais bem entender.

“Cancela ela pra ver se e não te dou 3 tapão na cabeça”, sugeriu a ativista e idealizadora do movimento #CarnavalSemGordofobia, Luana Carvalho (@lxcarvalho). Ainda assim, o internauta Roos (@Criaonipresente) insistiu: “Achei que cancelavam todas as brancas de trança! O cancelamento é seletivo?”, ao que Odara (@gxiulia_souza) respondeu: “Nesse caso é seletivo sim, ela pode fazer o que ela quiser”.

O print da conversa, postado por @alinadurso do Diário de umA Travesti, viralizou e teve mais de 12 mil retweets e mais de 90 mil curtidas.

Nas respostas, muitos ativistas defenderam o direito de Ana Carolina. “Ela é uma mulher trans corajosa, forte e guerreira. E ficou linda com esse visual”, “Esse pano eu passo quantas vezes forem necessárias!”,  “É a Ana. Se ela quiser passar com um carro em cima de mim, ela pode!” e “Já tenho 8493 metros de pano pra passar” foram alguns dos comentários em defesa da nova webdiva.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).