Uma vegana TikToker foi criticada depois de postar um vídeo no qual ela disse que “assumir-se como uma ativista vegana pelos direitos dos animais” é mais importante do que assumir-se como membro da comunidade LGBTQ.

A influencer também conhecida como Srta. Kadie, diz que está no TikTok “para ajudar os animais e todos os oprimidos”. Ela tem 1,7 milhões de seguidores, e seus vídeos receberam mais de 33,4 milhões de curtidas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Segundo o Pink News, embora a maioria de seus vídeos se concentre no apoio aos direitos dos animais e em uma dieta saudável, ela é criticada pela abordagem polêmica de que “assumir” como vegana é “muito mais especial” do que ser LGBT+.

Em um TikTok que foi excluído, o @ThatVeganTeacher respondeu ao comentário de outro usuário: “Ser vegano não é tão especial quanto ser gay / lésbica. Eu mesma sou lésbica. Vegan é uma dieta, não sexualidade”.

VEJA TAMBÉM:  Rapaz leva 22 facadas de grupo de 16 homofóbicos no DF

Ela respondeu: “Você está absolutamente errado. Se assumir como um ativista vegano pelos direitos dos animais – como alguém que se preocupa além de si mesmo – é muito mais especial do que se assumir como um membro da comunidade LGBTQ. Tornar-se membro da comunidade LGBTQ é um ato totalmente egoísta”.

“Não se trata de falar sobre as coisas que você fará para melhorar o mundo. Assumir o papel de ativista dos direitos dos animais é falar sobre os animais – não apenas de você. Na verdade, é uma coisa totalmente altruísta”.

Embora ela tenha excluído o vídeo, a internet é para sempre. E logo, YouTubers criaram vídeos de resposta. D’Angelo Wallace é um comentarista americano do YouTube e streamer do Twitch conhecido por seus vídeos de YouTubers controversos e. Ele fez um vídeo de reação que obteve mais de 1,2 milhão de visualizações.

VEJA TAMBÉM:  Rua amanhece coberta de folhetos dizendo que “sexo lésbico causa câncer"

YouTubers também responderam ao vídeo. Fraser MacDonald, também conhecido como iNabber, é um YouTuber e comentarista inglês. MacDonald, que é bissexual, fez um vídeo intitulado “Essa professora vegana está intimidando pessoas LGBT“, que foi visto mais de 600.000 vezes.

Ativista tem histórico de controvérsias na internet

Em um vídeo, que foi postado logo após o vídeo excluído “assumir-se como vegano”, ela respondeu às críticas de um seguidor. O usuário disse: “Então, você está basicamente dizendo que eu deveria me forçar a ser hetero, mas não beber leite. OK companheiro.”

A ativista respondeu dizendo que ninguém está “dizendo para você se forçar a ser hetero”, acrescentando: “Não tente torcer minhas palavras.” Ela continuou: “Estou dizendo que é normal fazer parte da comunidade LGBTQ e que todos devem se esforçar para ser veganos.

“Todos vocês que falam sobre ser oprimidos devem entender que vocês também são os opressores. Você está oprimindo os animais toda vez que paga por hambúrgueres no McDonald’s, asas de frango no KFC, qualquer uma das outras coisas em seu prato que envolvam partes de animais mortos”.

VEJA TAMBÉM:  Grupo LGBTQ+ é expulso de bar após ataque transfóbico

“Se você está optando por comprar leite de vaca em vez de leite de soja, você é parte do problema. Você é um opressor. Você não gosta de ser maltratado, então não o faça com os animais. Comece a melhorar. Seja corajoso e vegano”.