O jovem Arisson Sá, de 24 anos, foi preso na última quarta-feira (20) após ter se envolvido no assassinato de Davi Amaral, de apenas 18 anos. Ele acabou confessando à polícia em depoimento que agiu motivado por homofobia.

Justamente esta semana o STF vem julgando a criminalização da homofobia no Brasil. Caso a lei estivesse valendo, Arisson teria um agravante à sua pena por ter agido apenas em função de discriminação por orientação sexual e/ou identidade de gênero, mesmo princípio que é aplicado ao racismo, por exemplo, tornando as penas piores neste tipo de motivação ao crime.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Ele disse que teve um relacionamento anterior com um rapaz e que depois essa pessoa teria dito que ele tinha relação homossexual, que mentia muito, que tinha uma filha. Ele queria descontar essa raiva em alguém. Como a pessoa é homossexual e o Davi também, ele acabou descontando no Davi, que não tinha nada a ver com esse caso. Tem relação com homofobia”, disse o delegado responsável pelo interrogatório, Dmitri Teles ao G1.

VEJA TAMBÉM:  Polícia prende suspeito de estuprar jovem gay no Rio de Janeiro

Davi Silva Amaral era estudante e foi encontrado desacordado no último dia 14 em um terreno abandonado no bairro de Livramento na cidade de Santarém.

Após a investigação, peritos concluíram que ele foi espancado e teve fraturas na cabeça. Seu corpo foi achado despido da cintura pra baixo.

O culpado está preso preventivamente enquanto aguarda seu julgamento e sentença.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).