Em Teresina, no Piauí, foi denunciado pela Associação de Defesa de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros, que vários gays estão sendo alvo de assalto após marcarem encontro com supostos dates no Grindr, que na realidade nada mais são do que criminosos se passando por crushes.

E não se trata de um crime isolado, mas sim uma quadrilha usando a facilidade propiciada pelos aplicativos de encontro, para abordar pessoas e roubá-las.


Veja também:


Segundo relatado pelas vítimas, os criminosos criam perfis, marcam encontros e ao chegar no local combinado, assaltam os garotos. Nos vários crimes do mesmo tipo já denunciados, foram levados celulares, jóias, dinheiro e outros pertences.

André Santos, da Associação de Defesa LGBT, foi quem denunciou o crime ao delegado Emir Maia da Delegacia de Direitos Humanos e Repressão as Condutas Discriminatórias.

“Estamos orientando as pessoas de que não levem pra casa desconhecidos. É preciso conhecer a pessoa antes, marcar um primeiro encontro e local público e movimentado”, alertou André aos usuários do aplicativo de encontros.

Tanto no Grindr quanto Hornet e outros aplicativos do tipo, já circulam fotos dos suspeitos, o que não adianta tanto, uma vez que alguns usam fotos fakes.


Veja também:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).