Eu já fui até insultado aqui em comentários feitos em outros artigos por conta de minhas opiniões.

As minhas opiniões, inclusive, são baseadas em termos legais e não em ser legal com ninguém, se é que cabe o trocadilho.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Eu moro num bairro que tem um grupo no Facebook chamado Dicas do Bairro X. Eu nunca vi um grupo de tanta reclamação como aquele. Reclama-se de tudo e, na mais das vezes, sem a menor razão. Devia chamar MIMIMI do Bairro, seria mais apropriado.

Ainda por cima, existem advogados e consultores que aparecem na televisão para agradar as pessoas e não para dizer a verdade; existe um consultor de condomínios que fala na televisão, absurdos completos em relação às sociedades condominiais. Eu não falo o que o diretor do programa quer e nem falo o que te agrada: eu falo o que diz a lei.

VEJA TAMBÉM:  Casamentos homoafetivos injetaram mais de R$ 20 bilhões na economia desde 2015

Pois bem, o decreto que instituiu a calamidade pública ou o estado de emergência no Brasil e no Estado de São Paulo, deu ao Presidente da República e ao Governador do Estado, poderes para baixarem decretos que, em tempos normais não poderiam ser feitos.

Como é o caso do isolamento e distanciamento social e, o que pode e o que não pode funcionar durante a quarentena.

O Decreto paulista diz que a construção civil pode funcionar e as lojas de material de construção também e, ninguém revogou a lei de condomínios que é de 1964, chamada lei de incorporações.

Este é um fato.

Outro fato é que reformas em apartamentos também são construção civil, tá?

Assim, o cara que fala na televisão e alguns síndicos entenderam que, já que está todo mundo trabalhando em casa, não pode ter barulho de obra durante o dia porque as pessoas estão trabalhando…

VEJA TAMBÉM:  Governo do RJ e Casa Nem entram em acordo pra evitar despejo de LGBTs em vulnerabilidade

Ora, nada mais egoísta e infantil. Por qual razão o cara que comprou um apartamento e o está reformando, tem que ter o prejuízo de parar a obra e pagar condomínio de um apartamento fechado enquanto os outros estão fazendo escritorinho em casa? Ora, faça-me o favor. Como se quem trabalhasse na Paulista ou na Faria Lima escutasse passarinhos durante o dia e não tivesse barulho algum.

Quem mora em São Paulo, trabalha com barulho, com caos, com obras, com panelaço diariamente às 20 horas e, com tudo o mais.

Assim, quem disser para você que as obras em apartamentos têm que parar está agindo ilegalmente e pode sofrer ação judicial por impedir o dono da obra e causar a ele prejuízo.

Síndico não é dono do prédio e não pode tudo e, ainda por cima, é responsável pessoalmente pelos atos que pratica. Se os pratica bem, ótimo. Se causa prejuízo a alguém por uma conduta ilegal, tem que pagar sozinho e não com dinheiro do condomínio…

VEJA TAMBÉM:  Moro fica menor a cada dia | Direitos LGBT

Quer sossego? Vai morar em um sítio, longe da cidade.