Arte e identidade drag, temas LGBT+, danças e performances fazem parte da programação do ‘II Festival NoiteSuja – Identidades Transformadoras’, que apresenta programação com 17 artistas nos dias 26, 27 e 28 de março. A atividade começa a partir das 20h e pode ser conferida por meio do Youtube.

O evento promove formação, encontros e debates sobre temas ligados à LGBT+fobia, racismo, misoginia e gordofobia, a partir de identidades subjetivas. “O festival foi pensado para ser divertido, mas também fazer pensar, expor que a nossa visão de mundo, enquanto população LGBTQIA+, não precisa ser só de dor, mas também de micro revoluções e transformações que nos fazem sentir completos no fazer artístico-cultural e representados na sociedade”, afirma o produtor Matheus Aguiar.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Confira a programação:
Sexta-feira (26)
‘Processos da identidade negra através da arte drag’ – com Shayra Brotero
‘A territorialidade no fazer Drag na Amazônia’ – com Skyyssime
‘O descartável na arte Drag’ – com Sarita Themônia
‘Teatro e comicidade na arte Drag’, com Xirley Tão

VEJA TAMBÉM:  Biscoiteira levanta ira dos ursos na internet ao postar foto de sunga: "Tô Ursinho, viu!"

Sábado (27)
‘A arte Drag no ciberespaço’ – com Allyster Fagundes
‘O corpo travesti na arte Drag’ – com Flores Astrais
‘Moda e produção sustentável na Amazônia’ – com Gigi Híbrida
‘Corpo mulher – Corpo Themônia’ – com Brigite Liberté

Domingo (28)
Ocorre apresentação do bailarino Marco Antônio; show de discotecagem, performance e pirotecnia da drag Yndjah Báh; o show de performance corporal e dublagem das drags Bunny das Coxinhas e Pandora Rivera Raia; além de show musical de Helena Ressoa e de MC PokaRoupas.

NoiteSuja – É um coletivo de drags que atua em Belém (Pará) e realiza, desde 2013, diversos eventos, festas e atividades culturais voltados ao público LGBT+. O NoiteSuja engloba um movimento que tem se consolidado na cidade, as themonias, artistas que buscam resignificar a arte drag em suas montações e performances, além de se fortalecer enquanto movimento para valorização da cultura e da arte regional amazônica.