Não é a primeira e nem a segunda vez que o apresentador Sikêra Jr. destila ódio contra a comunidade LGBTQI+. Quem parece que cansou disso, como todo nós, foi a influenciadora digital Ariadna.

Na última semana, ele utilizou o seu Instagram para fazer mais um post transfóbico, que acabou felizmente sendo tirado do ar pelo Instagram. Na publicação ele dizia para seus 5,4 milhões de seguidores: “Transgênero é uma pessoa que não aceita o próprio nome, o próprio corpo, a própria voz, a própria vida. Mas quer ser aceito por todo mundo”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Post transfóbico de Sikêra Jr., removido pelo Instagram. (Foto: Reprodução / Instagram)

A influenciadora digital Ariadna Arantes, indignada com a atitude do apresentador, fez questão de publicar uma carta aberta no seu Instagram e marcar o perfil oficial do apresentador, além de outros famosos transgêneros, como Lea T, Tarso Brant, Thammy Miranda, Mel Gonçalves, Erica Malunguinho, Linn da Quebrada, Maria Clara Spinelli, dentre outros, rebatendo sua frase transfóbica e dando uma aula sobre o tema para ele.

Repostando a imagem transfóbica postada por Sikêra Jr., Ariadna escreveu:

“Carta Aberta ao comunicador Sikêra Jr.

Você como comunicador deveria estudar um pouco mais pra falar sobre esse assunto. Me dá vergonha que em 2020 tenha gente como você que tem o espaço que tem e no entanto compartilham ignorância. Transgêneros não se IDENTIFICAM. Se nós não nos aceitássemos, todos nós estaríamos mortos. Alguns pulando de um prédio. Se jogando na frente de um trem. Cortando os pulsos. E isso realmente acontece sabe porque? Porque existe pessoas como você que não sabe o significado da palavra RESPEITO.

É vergonhoso que em pleno século 21 um comunicador incentive ao ódio com essa desinformação. A transexualidade é estudada pela medicina e sim é uma condição humana. Ninguém aqui é obrigado a te aceitar sendo esse ser Medieval que tá parado lá nos tempos da inquisição, da idade média. Mas somos todos obrigados a te respeitar. E sua opinião quando fere a minha integridade e a de milhões de pessoas transgêneros, está compactuando com toda violência , ataques e até mortes.

E esse peso meu querido, está em suas costas também. Eu vejo vocês falarem tanto de bons costumes, mas a empatia está desatualizada. Nós somos cidadãos íntegros, com direitos e deveres. Vocês se acham superiores, a maioria… mas na hora que devemos votar, pagar nossos impostos , não temos diferença. Então porque fazer das nossas vidas uma eterna perseguição?

Eu tenho os mesmos direitos que vocês. Todos nós temos. Inclusive ao respeito. E se sua opinião me fere, me falta com respeito, então você tem sim que ficar calado ou responder legalmente pelos seus ataques. Eu convido aqui todas as personalidades Referências Transgêneros e as que também se sentiram ofendidas mesmo não sendo personagens públicos, a buscarem nossos direitos penais contra esse cidadão e qualquer outra pessoa que nos façam passar por esse tipo de vexame nacional . Isso é incitação ao ódio. Isso não pode ficar assim.”

Disse tudo a Ariadna, né? Veja abaixo o post dela na íntregra:

View this post on Instagram

Carta Aberta ao comunicador @sikerajr Você como comunicador deveria estudar um pouco mais pra falar sobre esse assunto. Me dá vergonha que em 2020 tenha gente como você que tem o espaço que tem e no entanto compartilham ignorância. Transgêneros não se IDENTIFICAM. Se nós não nos aceitássemos, todos nós estaríamos mortos. Alguns pulando de um prédio. Se jogando na frente de um trem. Cortando os pulsos. E isso realmente acontece sabe porque? Porque existe pessoas como você que não sabe o significado da palavra RESPEITO. É vergonhoso que em pleno século 21 um comunicador incentive ao ódio com essa desinformação. A transexualidade é estudada pela medicina e sim é uma condição humana. Ninguém aqui é obrigado a te aceitar sendo esse ser Medieval que tá parado lá nos tempos da inquisição, da idade média. Mas somos todos obrigados a te respeitar. E sua opinião quando fere a minha integridade e a de milhões de pessoas transgêneros, está compactuando com toda violência , ataques e até mortes. E esse peso meu querido, está em suas costas também. Eu vejo vocês falarem tanto de bons costumes, mas a empatia está desatualizada. Nós somos cidadãos íntegros, com direitos e deveres. Vocês se acham superiores, a maioria… mas na hora que devemos votar, pagar nossos impostos , não temos diferença. Então porque fazer das nossas vidas uma eterna perseguição? Eu tenho os mesmos direitos que vocês. Todos nós temos. Inclusive ao respeito. E se sua opinião me fere, me falta com respeito, então você tem sim que ficar calado ou responder legalmente pelos seus ataques. Eu convido aqui todas as personalidades Referências Transgêneros e as que também se sentiram ofendidas mesmo não sendo personagens públicos, a buscarem nossos direitos penais contra esse cidadão e qualquer outra pessoa que nos façam passar por esse tipo de vexame nacional . Isso é incitação ao ódio. Isso não pode ficar assim. @leat @gabrielaloran @tarsobrant @thammymiranda @nanypeople @leonoraaquillaoficial @glamourgarcia @melpormel @uriasss @maiteschneideroficial @luisamarilacc @laerteminotaura @linikeroficial @ericamalunguinho @linndaquebrada @mariaclaraspinelli @tifannyabreu10 @pepita @mctransoficial @michellyx

A post shared by Ariadna ♊️ (@ariadnaarantes) on

Vale lembrar que além de ter removido a publicação original de Sikêra Jr., em nota, o Instagram se pronunciou sobre o episódio:

“Não permitimos conteúdo que ataque pessoas com base em raça, etnia, nacionalidade, religião ou orientação sexual, casta, sexo, gênero, identidade de gênero e doença grave ou deficiência. Se encontrarmos conteúdo que viole essas políticas, vamos removê-lo.”

Van Amorim
Autora / Escritora / Roteirista / Compositora / Soteropolitana / sob contrato internacional com a Chiado. Uma editora de origem portuguesa, sediada na cidade de Lisboa. Com 27 anos, 2 livros publicados e quase 500 mil leituras online, Van já ficou 2 vezes em 1° lugar nos Estados Unidos e no Brasil com as obras: “O Eclipse Vol. 1” e “O Código da Sabedoria.” Graduanda Letras Vernáculas na Universidade Salvador e Colunista Policial do Salvador Notícias.