O arcebispo anglicano de Sydney disse que um tribunal da igreja desonrou a Deus ao permitir as bênçãos dos casamentos do mesmo sexo.

Os comentários do arcebispo Glenn Davies são o último capítulo de uma discussão que explodiu entre os anglicanos australianos no ano passado. A Diocese de Wangaratta, no nordeste de Victoria, fez história ao permitir que seu clero abençoasse casais do mesmo sexo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

De acordo com o GSN, agora, o mais alto tribunal da igreja, o Tribunal de Apelação, votou cinco a um a favor da continuação das bênçãos.

O voto do tribunal não é uma decisão. Mas os membros do tribunal concluíram que os bispos poderiam abençoar um casal que já é casado de acordo com a lei de casamento igual da Austrália.

No entanto, o arcebispo anglicano Davies disse ao clero que a opinião do Tribunal de Apelação é “difícil de entender, pois é contrária ao ensino da Bíblia”. Davies disse que a visão do tribunal “mina o ensino claro das Escrituras e, portanto, desonra a Deus”.

VEJA TAMBÉM:  Igreja Anglicana do Brasil passa a permitir casamento homoafetivo

Ele alegou que as decisões anteriores determinaram que “o ensino da Bíblia, e portanto da Igreja Anglicana, era que a união sexual de duas pessoas do mesmo sexo era pecado”. E acrescentou: “É por isso que o clero está proibido de celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Abençoar tal união equivaleria à bênção do pecado. ‘

Arcebispo anglicano prega doutrina anti-LGBT há décadas

A Igreja Anglicana tem discutido sobre a abordagem certa para as pessoas LGBT+ e casais do mesmo sexo há décadas. Uma disputa específica explodiu quando sua filial nos Estados Unidos – a Igreja Episcopal – votou a favor de uniões homossexuais em 2009.

Enquanto isso, os líderes da Igreja temem que a questão possa dividir a comunhão anglicana em todo o mundo, com as igrejas homofóbicas se separando dos modernizadores.

Neste momento, a Igreja da Inglaterra está considerando reconhecer casais do mesmo sexo, embora não decida até 2022.

VEJA TAMBÉM:  "Jesus não se importa com a sua sexualidade”, explica sacerdote cristão anglicano

No entanto, essa decisão será particularmente significativa porque a Igreja da Inglaterra é liderada pelo Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, que também é o líder dos anglicanos em todo o mundo.