Após receber uma advertência verbal e por escrito da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) por fala transfóbica no plenário, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL) reafirmou que continuará a lutar contra a militância LGBTQ+.

No Twitter, o parlamentar postou o vídeo da punição dita pela presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, a deputada Maria Lúcia Amary (PSDB). Na legenda, ele disse que defenderá “os direitos das mulheres poderem usar o próprio banheiro”.

“Acabo de ser advertido verbalmente pelo Conselho de Ética da ALESP por defender os direitos das mulheres poderem usar o seu próprio banheiro, por defender a minha irmã e minha mãe, por não aceitar que a militância LGBT desça goela abaixo a sua agenda no nosso Brasil…”, escreveu Douglas.

Em pé, Garcia escutou: “Fica Vossa Excelência, deputado Douglas Garcia, advertido (…) acerca da necessidade de plena observância aos preceitos de ética e decoro parlamentar contidos nas normas legais que regem a matéria, em especial o Código de Ética e Decoro Parlamentar desta casa, atentando pelas regras de boa conduta sob risco de incidência de penalidade de natureza mais grave do que a ora aplicada”, proferiu Maria Lúcia.

Douglas foi punido após ter dito no plenário que tiraria “no tapa” uma mulher trans que usasse o mesmo banheiro que sua mãe e ou irmã. “Se um homem que se acha mulher entrar no banheiro em que estiver minha mãe ou minha irmã, tiro o homem de lá a tapa e depois chamo a polícia”, disse o deputado.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Vale ressaltar que, dias depois, Garcia se assumiu gay.