A próxima Parada LGBT da cidade de Piracicaba, no interior de São Paulo, que está marcada pra acontecer no próximo domingo 10 de novembro, teve a presença da cantora Urias cancelada.

A decisão por parte da artista se deu após explodir nas redes sociais uma polêmica por conta da drag queen Verona, que se fantasiou de integrante do grupo Ku Klux Klan e performou assim em uma festa de Halloween realizada pela ONG Casvi, que realiza a Parada LGBT da cidade já há muitos anos.

Pra quem não sabe, Ku Klux Klan, a fantasia que Verona escolheu para a festa, é um grupo americano que prega supremacia branca, racismo, homofobia e valores nazistas. Após a foto da drag queen viralizar nas redes sociais com muitas pessoas questionando o mau gosto e a criticando, ela acabou se desculpando publicamente, reconhecendo sua ignorância e erro na escolha do traje.

“Não sou racista e não fiz minha performance baseada em cima do racismo ou quis fazer apologia ao mesmo como estão me acusando em vários posts, comentários e compartilhamentos. O uso do figurino do KKK como fantasia, sim, eu errei, pequei demais, porém, eu não me aprofundei na história do KKK […]. Se eu tivesse me aprofundado eu não teria usado, justamente por ser algo que causou tanto sofrimento a uma minoria, à minoria negra”, disse Verona em um dos posts em suas redes sociais se desculpando.

Depois disso, ao saber do acontecido, a cantora Urias emitiu um comunicado em suas redes sociais cancelando sua presença e show na Parada LGBT de Piracicaba: “Tendo em vista a ocorrência de uma pessoa trajando roupas da KKK, uma organização racista e preconceituosa, a artista Urias e sua equipe decidiram não participar da Parada, tendo em vista que não compactuam com este tipo de ideia, nem mesmo como brincadeira ou fantasia de Halloween”, disse o story postado no Instagram da artista.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Após a péssima repercussão do caso, a ONG Casvi, que estava junto à drag queen Verona sendo linchada virtualmente, veio a público afirmar que não compactua com os valores ou escolha do figurino e performance da drag, deixando claro que sequer sabia da decisão da mesma ao se apresentar deste modo na festa: “Esclarecemos que não tivemos acesso ao conteúdo que seria performado pela Drag, da mesma forma que todas as outras artistas que se apresentaram na festa, candidatas do Concurso Diva da Parada LGBTQI de Piracicaba”, disse em nota.

Ainda assim, está acontecendo nas redes sociais uma forte campanha virtual de cancelamento contra a drag queen Verona e a ONG Casvi, que sempre realizou campanhas, eventos LGBTs e a própria Parada LGBT da cidade de Piracicaba desde 2007.

Em nota, a ONG Casvi se defendeu das acusações e do que chamou de um “desejo de ódio e vingança”: “O episódio em questão representa um momento problemático, motivado pelo ódio e desejo de vingança de uma produtora e artistas Drags, promoters e DJs de uma Festa Pink Money de Piracicaba, voltada para o público LGBT, que somente na semana da realização da Parada LGBTQI de Piracicaba resolveram utilizar um episódio isolado pra ATACAR cruelmente e covardemente a nossa ONG e a nossa Parada LGBTQI”, afirmou em nota.

De qualquer forma, a Parada LGBT de Piracicaba continua confirmada para acontecer no próximo domingo dia 10 de novembro.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).