Os médicos bem que tentaram avisar que ele não duraria mais 2 anos vivo, isso aos 20 anos de idade. Mas o renomado cientista e físico Stephen Hawking provou que eles estavam errados. Foram muitos anos de vida convivendo com esclerose lateral amiotrófica até que, no último dia 14 de março de 2018, o gênio faleceu aos 76 anos de idade.

O que nem todos sabem, é que além de suas descobertas científicas que mudaram a maneira como vemos o mundo, aplicando novas ideias à teorias da relatividade e buracos negros, Stephen Hawking, também era um apaixonado por justiça e igualdade, e já fez inclusive campanhas por direitos LGBT.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em 2012, Hawking foi uma das primeiras personalidades a pedir ao governo britânico que concedesse o perdão real ao pai da computação, Alan Turing, que foi brutalmente torturado em 1952 após ser descoberto que era homossexual e tinha relações com homens, o que era crime na época passível de prisão, tortura e até pena de morte dependendo do caso.

VEJA TAMBÉM:  OS 10 filmes LGBTs de maior bilheteria da história

Alan Turing só conseguiu se livrar da pena de morte ao por ter sido condenado a pena de prisão, além de ser castrado e torturado. Isso tudo, mesmo depois de ter sido um dos responsáveis pelo fim da Segunda Guerra Mundial, conseguindo desvender o enigma das mensagens codificadas alemãs através do sistema que ele mesmo projetou e se tornou a base da computação moderna.

(continua abaixo…)

Falando nisso, assista ao vídeo abaixo e conheça a história de Alan Turing, o pai da computação condenado por ser homossexual:

Em carta aberta em 2012, Stephen Hawking chamou Alan Turing de “uma das mentes mais brilhantes entre os matemáticos da era moderna” pedindo ao então primeiro ministro britânico, David Cameron para perdoar este verdadeiro herói britânico, que deu tanto à nação e a história do mundo, e cuja contribuição foi fundamental para a criação do computador, com seus princípios valendo e sendo aplicados ainda nos dias de hoje.

VEJA TAMBÉM:  Exame cerebral consegue identificar se a pessoa é trans desde criança

Um ano depois do pedido de Stephen Hawking, a rainha Elizabeth II concedeu a Alan Turing o perdão póstumo, reconhecendo o erro da coroa britânica e desfazendo a pena e culpabilidade pelo seu “crime” na época, de ser homossexual. A medida também favoreceu o perdão geral concedido aos homens condenados por fazerem sexo com homens, dado pelo governo britânico no ano passado.

O livro de Stephen Hawking, Uma Breve História do Tempo, é um dos maiores sucessos de todos os tempos, tendo vendido mais de 10 milhões de cópias em diversas línguas. Seu trabalho ao estudar a ciência por detrás dos buracos negros e teoria da relatividade tiveram tanto sucesso que renderam o filme ganhador de Oscar, The Theory Of Everything, estrelado por Eddie Redmaye.

Stephen Hawking nasceu em Oxford em 1942 e faleceu tranquilamente cercado dos parentes próximos em sua casa em Cambridge.

VEJA TAMBÉM:  Construção de estátua em homenagem ao herói de guerra gay, Alan Turing, encontra oposição

Veja também:


Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).