Um brasileiro foi brutalmente espancado por uma gangue homofóbica com barras de aço depois de dar um simples beijo de despedida no namorado do lado de fora de seu apartamento em Dublin.

Danilo Matta – que vive no país há mais de um ano – estava voltando para casa no último sábado de manhã, quando um grupo o agrediu em um ataque que o deixou com os lábios abertos. A comunidade LGBT local ficou chocada com o acontecido em um país onde crimes por homofobia não são rotina como infelizmente são no Brasil.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O garoto de 28 anos, que mora na cidade irlandesa há 18 meses, estava se despedindo do namorado quando foi atingido por volta das 3h30 da manhã.

O namorado de Danilo amarrava sua bicicleta do lado de fora de sua casa, em cima de um pub no norte de Dublin e pedalava depois de dar um beijo de boa noite.

VEJA TAMBÉM:  Mais de 13 mil militares trans podem ser demitidos por Donald Trump a partir de hoje

Depois que estava fora de vista, um grupo de quatro homens – dois dos quais estavam de bicicleta – e duas mulheres foram covardemente em direção à Danilo, que estava sozinho.

“A gangue se aproximou e disse: ‘O que está acontecendo aqui?’, falando sobre o beijo que viram acontecer”, disse à vítima ao Dublin Live.

“Nesta altura, comecei a me sentir desconfortável, mas antes que eu pudesse responder, eles me atingiram na boca com uma barra de aço”, relatou.

“Depois desse golpe, fiquei atordoado e confuso e não conseguia entender o que havia acontecido”, contou. Ainda machucado, Danilo conseguiu fugir para o apartamento.

Ele acrescentou que, quando a quadrilha percebeu que o ataque estava acontecendo do lado de fora de sua residência, fugiram em direções opostas.

Danilo continuou: “Liguei para a polícia, mas eles não vieram, então fui à Estação Kilmainham Garda no dia seguinte e relatei às autoridades o acontecido.

VEJA TAMBÉM:  JK Rowling divulga loja anti-trans em seu Twitter

“Liguei para uma ambulância e eles chegaram rapidamente. Eles foram muito prestativos e me limparam e me certificaram de que eu estava bem. Eles queriam que eu fosse ao hospital, mas eu só queria ir para a cama, então me recusei”, disse.

A vítima acredita que o ataque foi motivado por homofobia sem sobra de dúvidas.

Em um post no Facebook, Danilo explicou que a quadrilha não tentou levar seu celular ou carteira. “Homofobia? Xenofobia? Talvez, muito provavelmente”, concluiu.

Veja seu post na íntegra, que alcançou mais de 600 likes: 

“É importante saber que esse tipo de coisa está acontecendo ao nosso redor. Não fui o primeiro e, infelizmente, não vou ser o último”, alertou o jovem.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).