A homofobia nas instituições de segurança pública do Brasil, e principalmente na Polícia Militar, infelizmente é uma constante e expõe a um risco de vida ainda maior uma população já penalizada pela homofobia da sociedade.

Muito além do ato cruel que deixou o youtuber Guigo Kieras cheio de hematomas pelo corpo e a boca desfigurada no último final de semana, a polícia, que já tem pouco preparo psicológico e condições para atender a população comum, tem menos ainda para lidar com a população LGBT.

Após o caso de Guigo, as inbox do Põe Na Roda foram inundadas de centenas de mensagens e relatos de LGBTs (de todas as letras) que já sofreram desde desdém até agressões verbais ou físicas por policiais (principalmente militares) de todo o Brasil.

Um dos casos – cuja identidade da vítima será preservada (pois muitos que abordamos se recusaram a ter o caso exposto ou mostrar o nome e rosto com medo da própria polícia ver e sofrer alguma perseguição) – é um rapaz mineiro chamado C. S.

Na ocasião, ele estava no bairro de Santa Tereza em Belo Horizonte (MG), quando se sentou com um rapaz com quem estava ficando. Em certo momento, os dois se beijaram, como qualquer casal heterossexual faria.


Assista também:


Foi aí que um grupo de rapazes que passava pela praça os avistou e começou a achincalhar e fazer ameaças, gritando que ali não era “lugar de viado”.

Tendo suas integridades físicas ameaçadas, os dois se mandaram dali, não sem antes levarem socos e chutes do grupo. Ao conseguirem se livrar do bando, procuraram a polícia para denunciar o crime, prestar depoimento e registrar o Boletim de Ocorrência.

Na delegacia, onde deveriam ser atendidos com educação e proteção pela polícia que é paga para cuidar da integridade de TODOS os cidadãos independente de orientação sexual e/ou gênero, eles se depararam com mais homofobia: “Procuramos a polícia, mas eles riram da nossa cara quando contamos e se recusaram a registrar o caso. Por medo, acabamos indo embora.”, disse C.

E infelizmente esta está longe de ser uma situação isolada. Confira mais alguns relatos de LGBTs nas redes sociais onde a polícia agiu com a mesma covardia, crueldade e LGBTfobia:

No país onde se mata mais LGBTs estatisticamente no mundo, e com situações como esta onde nem as autoridades nos protegem, ainda há quem questione a criminalização da homofobia e equiparação da discriminação por orientação sexual e identidade de gênero ao crime de racismo, que vem sendo discutida atualmente pelo STF.

E você, também já teve medo de denunciar agressões homofóbicas à polícia? Comente aqui embaixo.

A gente deve expor este tipo de situação pra que algo seja feito.

E falando nisso: #CriminalizaSTF, #HomofobiaÉCrime.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).