Um vídeo viralizou no Twitter e não temos escolha a não ser concordar. O nome da âncora política americana progressista é Ana Kasparian e ela simplesmente deu um show sobre tolerância religiosa ao vivo.

No vídeo, a âncora começa dizendo que vai lutar para que as pessoas tenham liberdade religiosa e que quem acredita no cristianismo deve ter esse direito. No entanto, isso não lhes dá o direito de empurrar suas crenças para outras pessoas, incluindo pessoas LGBT+.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Eu não acredito no cristianismo”, ela continua, “o que significa que você não pode ditar minha vida com base em sua religião”.

Ana se refere especificamente à luta contra o aborto, mas isso é realmente aplicável a todas as crenças cristãs (e qualquer outra religião e suas tradições ultrapassadas) que as pessoas religiosas lutam para fazer lei aquilo que condenam como casamento igualitário e homossexualidade.

VEJA TAMBÉM:  Este verso da Bíblia foi escolhido para ajudar a combater a homofobia

“Eu não me importo com a sua maldita religião. Eu não me importo sobre o que diz a bíblia. Todas as mulheres do mundo que se identificam com sua religião tem o direito a não fazer um aborto, mas eu, nem minha vida. Estou tão cansada de ter conversas infinitas sobre o que a Bíblia diz”.

E ela levanta um ponto muito válido de que religião e lei são duas entidades separadas e devem ser tratadas como tal. A lei deve ser cautelosa quando se trata de religião, permitindo que cada indivíduo faça e acredite exatamente como quiser, sem prejudicar outras pessoas.

A âncora americana encerra seu discurso dizendo: “você não pode pegar sua bíblia e me dizer ‘mas olha, a bíblia diz isso, diz aquilo’, apenas pare, EU NÃO LIGO!”. Isso aí, Ana, nós também não ligamos.