Um aluno de apenas 11 anos precisou ser transferido de escola no Distrito Federal pela instituição de ensino proibir que ele tivesse cabelos longos.

Segundo a mãe do garoto Luís Phelipe Oliveira, Alessandra Oliveira, se trata de uma promessa do garoto ficar sem cortar o cabelo. E se fosse gosto e vaidade também, qual o problema?

A direção do Colégio Adventista enviou um aviso aos pais do garoto afirmando que se ele não cortasse o cabelo, não frequentaria mais as aulas.

Procurada pela imprensa, a escola afirmou ser contra qualquer discriminação (oi?), mas que esta é uma regra da instituição com a qual os pais concordam no ato da matrícula.

A mãe nega e ainda afirma a hipocrisia da escola, que quando foi para o garoto representar Jesus em uma peça ou estar no coral, não disse nada contra. Mas agora ao iniciar um novo semestre letivo faz isso.

O garoto também afirmou não ter a intenção de cortar o cabelo: “Eu gosto muito do meu cabelo do jeito que ele está. Não quero cortar meu cabelo e tem muita coisa muito mais importante na escola do que eu que tenho cabelo grande.”

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).