Nesta semana, Bolsonaro criticou a criminalização da LGBTfobia, acusando ao Supremo Tribunal Federal (STF) de “legislar” ao equiparar por maioria em votação os crimes contra LGBTs nos mesmos parâmetros da Lei de racismo.

A declaração intolerante aconteceu durante um culto na Assembleia de Deus Ministério Madureira, local em que, teoricamente, as pessoas deveriam seguir o principal mandamento que diz: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“O Supremo Tribunal Federal agora está discutindo se homofobia pode ser tipificado como racismo. Desculpe aqui o Supremo Tribunal Federal, que eu respeito e jamais atacaria o outro poder, mas, pelo que me parece, estão legislando […]. O estado é laico, mas eu sou cristão”, afirmou o presidente, no evento em Goiânia.

Após a declaração, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, rebateu o presidente. “Não há nada de legislar. O que há é a aplicação da efetividade da Constituição, que é protetiva de uma minoria que no Brasil sofre violência tão somente por sua orientação sexual”, disse Moraes.

VEJA TAMBÉM:  Covid-19: prefeito de cidade em SC quer tratar população com ozônio por via anal

E completou: “O Brasil é o quarto país do mundo com maior índice de agressões a pessoas tão somente em virtude de sua orientação sexual. Não é possível continuar com isso”, completou, após almoço no Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), segundo o G1.

Vale lembrar que, o presidente sempre diz em seus discursos que é contra ideologias, no entanto, ao que parece, sua posição é um tanto quanto seletiva. Afinal, enquanto o país explode em desemprego, preços altos, economia quebrada, saúde precária, entre inúmeros outros problemas que poderíamos citar, Bolsonaro se preocupa apenas com o que ele diz ser contra: manter um país enquadrado dentro das suas próprias “ideologias”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).