Juan Carlos Lopez e três outros homens recentemente acusados de agredir um gay na rua em Miami. A gente inclusive deu essa notícia aqui no Põe Na Roda.

Na último dia 8 de abril, os três agressores se juntaram e começaram a xingar e agredir com socos e chutes o casal Rene Chalarca e Dmitry Logunov, que andavam de mãos dadas.

Imagens de câmeras de segurança comprovaram a agressão.

Os quatro suspeitos – Juan Carlos Lopez, Adonis Diaz, Pablo Reinaldo Romo e Luis M. Alonso – foram presos e acusados depois de se entregarem à polícia.

Acontece que, na última terça-feira, o pai de Juan Lopez, disse em entrevista a NBC defendendo seu filho, que havia criado ele junto com seu parceiro de 15 anos, o que significa que ele jamais poderia ter cometido um crime de natureza homofóbica.

Lopez disse que estava certo de que seu filho não atacaria ninguém por ser gay, afirmando: “Tenho certeza de que 100% disso”. Ele ainda acrescentou que seu filho “ama os LGBT”.

No Estado da Flórida, crimes motivados por ódio, como é o caso da homofobia, recentemente sofreram aumento de pena, o que significa que os criminosos podiam ficar por até 30 anos atrás das grades. Sem o agravante de homofobia, certamente a pena seria menor, com o crime fichado como agressão comum.

O problema é que, com o depoimento do pai do rapaz, a natureza homofóbica (agravante do crime) foi questionada pela defesa, ainda que as vítimas aleguem terem certeza se tratar de um crime de homofobia, uma vez que estavam andando de mãos dadas e não tinham dado qualquer razão para serem agredidos.

A justiça ainda não acatou o pedido de revisão da sentença e a defesa do agressor aguarda na esperança de que, provado o suposto relacionamento de seu pai com um outro homem, Juan tenha sua pena reduzida.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).