O parlamento da África do Sul votou uma emenda que pode representar mais um marco na história dos Direitos LGBTs do país.

Tendo a união homoafetiva reconhecida desde 2006, com a nova medida, agora ficará estabelecido que ninguém pode se recusar a casar pessoas do mesmo gênero mesmo baseado em consciência, religião ou fé pessoal.

O grupo político Cope (Congress of The People Party) decidiu introduzir a emenda na lei em janeiro com o parlamento analisando o pedido só em novembro.

Durante um debate recente defendendo a proposta, o deputado Deidre Carter, disse que pessoas LGBTs sofrem na África do Sul o equivalente ao Apartheid, regime que segregava negros no passado, tornando esta população carente de direitos marginalizada e rejeitada pela sociedade.

Carter ainda lembrou que recusar a se legalizar uma união homoafetiva é uma limitação que não pode ser justificada em uma sociedade democrática.

Após a votação da emenda pelo Conselho Nacional de Províncias (nome do parlamento) do país, a medida precisa agora ser sancionada pelo presidente Cyril Ramaphosa para passar a valer como lei, o que acredita-se que deve acontecer.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).