A ativista LGBT britânica Charlie Craggs criou um movimento que vem sendo aderido pela comunidade trans: usar o emoji de lagosta. Mas qual o sentido disso?

Se trata de uma campanha em pedido à Unicode – organização responsável pela escolha mundial dos emojis nos sistemas operacionais – para que ela crie um emoji que represente a comunidade trans, e seja preferencialmente a bandeira do movimento nas cores azul e rosa.

“O que é mais importante: um emoji de lagosta ou algo que represente todas as pessoas trans?”, pergunta ironicamente a campanha #ClawsOutForTrans.

E por que a escolha do crustáceo? Acontece que a lagosta foi uma das inserções recentes na última atualização dos emojis tanto para serviços do Facebook, quanto Whatsapp, Android e Apple, sem qualquer pedido para que seja inclusa, enquanto a comunidade trans pede um emoji que os represente já há algum tempo e nada é feito.

“Merecemos pelo menos direitos iguais aos crustáceos na representatividade, não?”, questiona Charlie sendo irônica em um dos vídeos da campanha.

Procurada, a Unicode afirmou que criou o emoji de lagosta devido a reclamações de pessoas confusas se deviam usar o emoji de camarão ou carangueijo pra falar de lagosta… Provando que crustáceos e frutos do mar tem mais representatividade do que pessoas então, Unicode?

Bem… Enquanto não há inclusão de emoji trans, há uma petição online do movimento #ClawsOutForTrans que você pode assinar pra apoiar a campanha, seja cis ou trans.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).