Se você já foi numa balada moderninha ou mesmo em um restaurante legal, vai perceber que a não existem banheiros cis.

O banheiro público de alguns restaurantes e baladas é um salão com várias portas e as pias no meio.

Posso te assegurar que nunca vi num banheiro como esses problemas entre o uso por homens, mulheres e ou transexuais.

As pessoas são preconceituosas e, não são só alguns homens que são homofóbicos. Mulheres também e, muito.

Tramita no Supremo Tribunal Federal uma ação que pende de julgamento e está com o Ministro Gilmar Mendes, sobre o uso de banheiros públicos de acordo com o gênero e não com o sexo biológico.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Vamos nos perguntar uma coisa? Precisa disso??? É só os lugares públicos passarem a ter banheiros unissex. Ou, por acaso os banheiros com acessibilidade para portadores de necessidades especiais são definidos pelo gênero?

Uma pessoa trans feminina oferece qual perigo para as mulheres num banheiro público?

Uma pessoa trans masculina oferece qual perigo para os homens num banheiro público?

Fato é que as pessoas são muito preconceituosas e ignorantes. Ignorantes no sentido de não saberem mesmo o que é uma pessoa transexual.

Campanhas e políticas públicas deveriam ser desenvolvidas nestes sentido mas, o batalhão de fiscais de xibiu que existe no Brasil impede até que seja ensinada educação sexual nas escolas depois das fake news da mamadeira de piroca. Para quem acha que estou falando palavrão, explico que xibiu é um diamante industrial muito pequeno usado em ferramentas de corte e são separados manualmente no garimpo e como são muito pequenos precisam ser separados por quem entende, por isso a expressão: fiscal de xibiu.

Tentou-se agora em Sorocaba, interior de São Paulo, uma lei municipal para impedir as pessoas transgênero de usarem banheiros públicos de acordo com suas identidades de gênero mas, graças ao Bom Senhor, o Tribunal de Justiça “vetou” a lei por inconstitucionalidade pois, o ente estatal que deve regular essas matérias é a União e não o município.

De outro lado, com a bancada evangélica no Congresso, de lá também não vai sair nada.

Melhor esperarmos o julgamento da ação pelo Ministro Gilmar Mendes e ou pelo plenário do Supremo para que as pessoas transgêneras tenham a dignidade de fazer xixi onde quiserem.

Absurdo vivermos num país em que se tem que discutir esse tipo de coisa…