Em mais uma demonstração de toda sua falta de preparo e decoro para o cargo que ocupa, o presidente Jair Bolsonaro  conseguiu surpreender jornalistas em uma coletiva na última sexta-feira (20) com sua já tradicional estupidez, e pra variar, homofobia.

Segundo noticiou a Folha de São Paulo, sem controle e irritado com um repórter que perguntou sobre as suspeitas em torno das corrupções apontadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro sobre seu filho, Flávio Bolsonaro, o presidente simplesmente respondeu: “Ô rapaz, pergunta pra tua mãe o comprovante que ela deu pro teu pai, ok?”.

E em seguida, após comentar sua longa relação com o suposto laranja da família Bolsonaro Queiroz, emendou com: “Você tem uma cara de homossexual terrível e nem por isso te acuso de ser homossexual. Se bem que não é crime ser homossexual”, retrucou.

Pelo contrário, o presidente se esquece que o crime no Brasil é falar o que falou: ser homofóbico.

Se a fala foi mais uma fala LGBTfóbica do presidente em seus mais de 30 anos sendo LGBTfóbico ou se está usando isso como cortina de fumaça pra que falem mais da declaração do que das corrupções envolvendo seu filho e toda sua família (previsível!), fica a questão.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

E mais uma pergunta que paira no ar: à qual homossexual será que o presidente tem como referência quando diz que estes tem uma cara terrível? Pela proximidade que teve com alguns que o apoiaram em sua pífia trajetória na política, será Agustin Fernandez, Diego Hypolito ou as irmãs Pepê e Neném? Karol Eller ou Evandro Santo? Não se sabe…

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).