Timothy Brown, a primeira pessoa conhecida a ter sido curada do HIV, está agora em estado terminal de uma recorrência do câncer que levou ao seu tratamento histórico, relata um artigo da ABC.

Em um esforço para curar sua leucemia, Brown, que era conhecido como o paciente de Berlim, recebeu um transplante de um doador com uma rara resistência natural ao vírus HIV. De seu hospital em Palm Springs, Califórnia, onde vive agora, Brown disse que seu câncer voltou no ano passado e se espalhou por todo o corpo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Quando questionado sobre seu transplante de Brown, disse que estava “feliz” por tê-lo feito. “Isso abriu portas que não existiam antes” e inspirou os cientistas a trabalharem mais para encontrar uma cura, que muitos começaram a pensar que não era possível, disse Timothy Brown.

“Timothy provou que o HIV pode ser curado, mas não é isso que me inspira nele”, disse o Dr. Steven Deeks, um especialista em AIDS da Universidade da Califórnia, que trabalhou com Brown em pesquisas futuras para a cura. “Tiramos pedaços de seu intestino, tiramos pedaços de seus gânglios linfáticos. Cada vez que lhe pediam para fazer algo, ele aparecia com uma graça incrível”, disse Deeks.

Brown era um americano que trabalhava como tradutor em Berlim na década de 1990, quando soube que tinha HIV. Em 2006, ele foi diagnosticado com leucemia. O Dr. Gero Huetter, especialista em câncer de sangue da Universidade de Berlim, acreditava que sua melhor chance de vencer o câncer era um transplante de medula óssea. Ele também se perguntou se, usando um doador com uma mutação genética que fornece resistência natural ao vírus HIV, ele poderia curá-lo.

Timothy Brown confiou no transplante

Os transplantes de medula óssea são perigosos e os doadores com a mutação genética são raros. No entanto, Brown recebeu seu primeiro transplante em 2007. A primeira tentativa não curou sua leucemia, mas pareceu eliminar o HIV.

Um transplante de acompanhamento em 2008 pareceu curar sua leucemia. Desde seu transplante inicial, Brown repetidamente testou negativo para HIV. Ele usou isso como uma oportunidade para aparecer em conferências sobre a AIDS, onde a pesquisa sobre a cura é discutida.

O parceiro de Timothy Brown, Tim Hoeffgen, disse que suas aparições o tornaram um “embaixador da esperança”. Adam Castillejo, “o paciente de Londres”, também realizou um transplante semelhante e acredita-se que esteja curado, mas doadores adequados são raros e o procedimento é considerado muito arriscado para ser amplamente utilizado.