O presidente Jair Bolsonaro tentou recorrer de uma decisão que estabelecia que pagasse R$ 10 mil reais (pra quem a esposa recebe R$ 24 mil do motorista não é nada, né?) à deputada Maria do Rosário, mas não conseguiu.

O STF julgou que é justo que Maria do Rosário seja indenizada por ter sido chamada por Bolsonaro de “feia” e que “não merece nem ser estuprada” na Câmara dos Deputados (vulgo fundão da quinta-série) em 2014.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Bolsonaro xingando a deputada Maria do Rosário.

Na época, Bolsonaro ainda reafirmou a frase em entrevista posterior ao jornal Zero Hora: “Ela não merece porque ela é muito ruim, muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece”, disse.

O ministro do STF, Marco Aurélio, rejeitou os argumentos dos advogados do presidente de que suas declarações estariam protegidas pela imunidade parlamentar.

Para o ministro, as afirmações em questão não têm relação com o exercício do mandato de deputado e, por isso, não estão protegidas pela regra da imunidade.

VEJA TAMBÉM:  Carlos Bolsonaro diz que LGBTs apoiam pedofilia

A deputada Maria do Rosário emitiu uma nota se manifestando sobre a decisão favorável do STF: “Considero que manter a condenação de Bolsonaro é simbolicamente derrotar cada agressor de mulheres deste país e dizer: não ficarão impunes”, afirmou.

Ela ainda adiantou que doará o valor recebido à entidades que protegem mulheres vítimas de violência.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).