Para estimular jovens a participar de pesquisas sobre prevenção de HIV, pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), desenvolveram a robô “Amanda Selfie”, por meio de inteligência artificial.

A ideia é conquistar jovens gays, trans e travestis, na faixa etária de 15 a 19 anos, para participar de uma pesquisa sobre o uso da Profilaxia Pré-exposição ao HIV (PrEP) como método preventivo para evitar transmissão do vírus.

“Amanda Selfie” faz uso de redes sociais e tem uma linguagem direcionada aos jovens. Para a iniciativa, cerca de 700 jovens serão acompanhados no estudo.