Um medicamento em experimento para prevenir o HIV, que poderia ser usado como uma PrEP mensal, passou por uma primeira fase de testes importante.

Chamado islatravir, segundo noticiado pelo portal Pink News, o medicamento é um novo antirretroviral – assim como a PrEP – atualmente em estágios iniciais de testes que os pesquisadores acreditam ter uma capacidade extraordinária de se manter no corpo durante um mês. Isso significa que precisaria ser tomado com muito menos frequência do que a obrigação diária necessária atualmente.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Além de ser usada como PrEP, na prevenção, a mesma medicação também poderá ser usada para tratar pessoas que vivem com HIV, mas aí sendo necessário tomar uma vez por semana, o que já seria um grande avanço em relação a uma pílula diária que é o tratamento atual.

Embora ainda sejam necessários mais testes, incluindo estudos de eficácia em humanos, os resultados positivos do estudo foram revelados na terça-feira (26 de janeiro) na conferência virtual HIV Research for Prevention.

VEJA TAMBÉM:  Londres dos anos 80 luta contra AIDS em novo trailer de "It's a Sin", assista

Vale lembrar que há outro método de dose mensal de PrEP em testes em humanos de maneira avançada, que é uma injeção bimestral de PrEP.

Mas voltando à promessa de um comprimido mensal, Sharon Hillier, professor da Pittsburgh University, apresentou os resultados do medicamento que poderá ser usado como uma PrEP mensal e disse que o estudo teve como objetivo determinar a persistência do islatravir nos tecidos sanguíneos de 250 voluntários com idade entre 18-65 com baixo risco de infecção pelo HIV.

PrEP
PrEP – Doutor Maravilha e as pílulas administradas atualmente. (Foto: Reprodução
/ Instagram)

Os participantes receberam seis doses mensais de islatravir, de 60 ou 120 miligramas, ou um placebo. Aqueles que tomaram qualquer uma das pílulas de islatravir apresentaram níveis mínimos (o nível antes de uma dose subsequente) que estavam acima do limite que os cientistas acreditam ser necessário para que a droga funcione.

VEJA TAMBÉM:  Com uso de pREP, novos casos de HIV caem ao menor nível da História em Nova York

A idade média dos 192 participantes relatados na análise intermediária foi de 32. Dois terços eram mulheres, 64 por cento eram brancos, 30 por cento eram negros e 16 por cento eram latinos.

Sobre o consumo mensal da droga como PrEP, Hillier disse: “Prevemos que as pessoas poderiam ir a uma farmácia uma vez por mês e tomar ali mesmo ou levar para casa com elas. Isso seria ideal para pessoas que não querem uma injeção, mas também não querem se obrigar a tomar um frasco de comprimidos todos os dias.”

Mais da metade – 53 por cento – dos participantes experimentou pelo menos um evento adverso, que pode ou não estar relacionado ao medicamento. Alguns deles incluíam náuseas, dor de estômago, diarreia e dor de cabeça.

Dois pacientes descontinuaram devido a eventos adversos e quatro tiveram aumentos transitórios nas enzimas hepáticas. No entanto, não houve efeitos adversos considerados graves.

VEJA TAMBÉM:  Governo Bolsonaro desmonta programas de HIV e Hepatite C

De acordo com o Aidsmap: “Em termos de eficácia contra o HIV, até agora os únicos dados vêm de macacos, que foram completamente protegidos do desafio viral pelo islatravir mensal.”

No entanto, a multinacional farmacêutica americana Merck & Co tem planos de lançar testes do medicamento em humanos, testando a eficácia em pessoas que vivem com HIV em breve.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).