De acordo uma matéria desta semana, do site da revista Exame, um estudo realizado em Londres com cerca de 1.000 casais de homens gays, em que os parceiros eram sorodiscordantes, ou seja, um deles é positivo e o outro não, mostrou que os medicamentos antirretrovirais são capazes de prevenir a transmissão do vírus, em caso de contato via sexual.

Para chegar aos resultados, os pesquisadores acompanharam os casais durante oito anos. A pesquisa publicada no conceituado jornal médico Lancet, na última quinta-feira (02), não relatou absolutamente nenhum caso de transmissão entre eles.

“Nossas descobertas apresentam evidências conclusivas para homens gays de que o risco da transmissão do HIV com o supressor ART é zero”, disse Alison Rodger, professora da University College London, que co-liderou a pesquisa.

A professora ainda definiu os resultados como uma “mensagem poderosa” e afirmou que a descoberta poderia ajudar a acabar com a pandemia de HIV em países com altos índices de infecção. Segundo a matéria, o principal intuito da pesquisa era avaliar os riscos de transmissão do vírus entre casais de homens gays sorodiscordantes, em que o parceiro positivo faça uso dos medicamentos e esteja com a carga viral indetectável.