Dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo apontam que 95% das pessoas vivendo com HIV no estado possuem carga viral indetectável. O apontamento se refere a pacientes em tratamento na rede pública e que fazem a utilização de retrovirais.

O levantamento representa uma conquista no enfrentamento à epidemia do HIV. A meta estipulada pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS) era de 90%.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
A metas, nomeadas de 90-90-90, preveem três conquistas para barrar a circulação do HIV (Foto: Secretaria de Saúde de SP)
A metas, nomeadas de 90-90-90, preveem três conquistas para barrar a circulação do HIV (Foto: Secretaria de Saúde de SP)

Pessoas com a virologia indetetável há pelo menos 6 meses, não transmitem o HIV. Portanto, o objetivo traçado pela UNAIDS é que quase a totalidade das pessoas diagnosticadas cheguem a esse status.

A metas, nomeadas de 90-90-90, preveem três conquistas para barrar a circulação do HIV: 90% das pessoas vivendo com o HIV diagnosticadas e, portanto, sabendo que possuem o vírus;
90% das pessoas vivendo com HIV e diagnosticas em tratamento e
90% das pessoas que vivem com HIV diagnosticadas e em tratamento com carga viral indetectável, quando a quantidade de vírus no corpo é bem baixa.