Descrito pelos amigos como “genuíno” e “caloroso”, Paul Quigley, um voluntário da Semana Nacional de Sensibilização ao Crime de Ódio, morreu devido a complicações causadas pelo coronavírus.

A situação começou depois que Quigley precisou ser levado às pressas para o hospital com dificuldades respiratórias. Ele havia sido diagnosticado com COVID-19, a doença causada pela nova espécie de coronavírus que vem se espalhando pelo mundo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Inúmeros líderes comunitários, colegas voluntários e entes queridos se reuniram no último domingo para lamentar a perda de um “amigo fabuloso” e um “cara genuíno e caloroso”, disse Mark Healey, fundador e CEO da 17-24-30 National HCAW.

Healey confirmou em um post no Facebook que Quigley foi levado às urgências no dia 11 de março, lutando para respirar. Os médicos o diagnosticaram com COVID-19. A condição piorou mais tarde naquela noite e ele foi sedado e colocado em um respirador, disse Healey.

VEJA TAMBÉM:  Marca gay é criticada por lançar máscaras “estilosas” em tempos de coronavírus

“Ele era um cara adorável, com muitos amigos, um senso de humor afiado e um sorriso radiante”, contou Healey. “Não tolerava tolos e seria bastante representativo no fórum LGBT de Lewisham que participaríamos juntos”.

“Paul era um voluntário muito amado como Rainbow Boroughs”, escreveu o Lewisham LGBT Forum no Twitter, “envio amor e luz”.

Enquanto outros enfatizaram, após a morte de Quigley, que é crucial seguir os conselhos dos legisladores e das autoridades de saúde para minimizar o contato social, pois a pandemia afeta a todos.

“Acabei de descobrir que alguém com quem eu estava rindo e bebendo cerveja há apenas sete semanas em Londres morreu hoje por causa do coronavírus”, escreveu James no Twitter. “Descanse em paz, Paul Quigley. Por favor, façam a coisa certa. Se isole, mantenha distância quando precisar ir comprar alimentos, lave as mãos adequadamente e procure ajuda médica”.

VEJA TAMBÉM:  Assassinos da travesti Dandara finalmente são condenados

À medida que o surto de coronavírus espalha o medo em todos os países, e muitos líderes mundiais impõem medidas duras – como a interrupção de teatros, restaurantes e clubes – o público está sendo obrigado a diminuir o contato com outras pessoas.

Outro caso de coronavírus atingiu Tarek Soliman, um figurinista que já atuou em RuPaul’s. C uma roupa de hospital, ele pediu às pessoas que “fiquem em casa”, afirmando que “não estamos lidando com algo pequeno, seja responsável e fique em casa. Não quero que ninguém passe pelo que estou passando agora. Fique seguro”.

Matéria traduzida do site PinkNews.