Com a pandemia do Coronavírus se alastrando pelo mundo, é importante lembrar e valorizar a relevância da conexão humana como refúgio e apoio emocional para as pessoas, sobretudo LGBT+. Sabemos que a realidade brasileira ainda está muito distante da aceitação e apoio em ambientes como o local de trabalho. Por isso, buscar oportunidades de ambientes de convívio saudáveis pode ser o primeiro passo para o grande alívio de uma tensão.

Traduzimos o artigo de Jan Gooding para o PinkNews, no qual a presidente da Stonewall UK explica a importância da conexão humana no trabalho em meio a pandemia de coronavírus. Jan Gooding revelou ser lésbica em seu trabalho como parte da “My Whole Self” (“Meu Eu Mesmo”), a nova campanha da Mental Health First Aid Inglaterra para a mudança da cultura no local de trabalho. Confira:

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Talvez você sinta que um determinado tópico ou parte de sua vida está ‘fora dos limites’ ou não queira ser conhecido por apenas uma parte de sua vida ou um personagem. Muitas pessoas podem se relacionar com esse sentimento ao tentarem ocultar um aspecto de sua vida no trabalho – seja cultural ou étnica, identidade de gênero, sexualidade ou saúde.

VEJA TAMBÉM:  Sauna gay passa a medir a temperatura dos clientes que entram afim de prevenir Coronavírus

Fui aconselhada a não ser aberta sobre o fato de ser lésbica quando ingressei em uma das minhas empresas anteriores. Foi um conselho bem-intencionado, mas injusto e prejudicial para a empresa e para mim. Depois de um ano escondendo minha sexualidade, recebi o feedback de que “perdi meu brilho” – o que era verdade.

Não sinto necessidade de falar sobre ser lésbica o tempo todo, mas se eu quiser mencionar minha parceira no trabalho, devo me sentir capaz de falar. Posso optar por não compartilhar que estou com depressão, mas não deve ser porque tenho medo da reação dos outros

É responsabilidade dos líderes no local de trabalho criar um ambiente em que todos possam se sentir à vontade para compartilhar todo o seu ser. A saúde mental de um local de trabalho é tão importante quanto a segurança física das pessoas, é apenas menos visível.

Agora, enquanto enfrentamos a atual crise de saúde e mais pessoas estão trabalhando em casa, mais do que nunca fazer conexões humanas genuínas e compartilhar nosso verdadeiro e autêntico eu é ainda mais importante. O fortalecimento dessas conexões, virtualmente ou não, será essencial para apoiar a saúde mental e o bem-estar de todos, à medida que nos unirmos para combater o impacto do coronavírus.

VEJA TAMBÉM:  Podcast O Assunto entrevista mãe e viúvo de médico morto pela covid-19

Se os empregadores possibilitam que as pessoas sejam abertas sobre sua saúde mental, é lógico que as pessoas devem receber mais compreensão, apoio e continuar contribuindo para o melhor de suas habilidades. Quando me tornei presidente da Stonewall, ela cristalizou para mim a importância das pessoas em posições de liderança, dando o exemplo. Você não pode esperar que as pessoas com quem você trabalha estejam abertas para você, se você não estiver aberto com elas.

Ser você mesmo no trabalho beneficia a empresa, seus colegas e, principalmente, você. Isso significa que você pode compartilhar seus pensamentos e idéias sem temer que outras pessoas o julguem negativamente ou ignore o valor do que você está dizendo.

Muitos de nós querem que nosso trabalho seja significativo e que nossa contribuição seja valorizada. Se editarmos nossos pensamentos e discursos para ‘encaixar’, em vez de compartilharmos as opiniões que defendemos que são diferentes, estaremos inibindo o que temos para oferecer.

Quando todos sentirem que podem levar todo o seu eu para o trabalho, o ambiente será muito mais interessante e animado, com discussões e debates saudáveis.

VEJA TAMBÉM:  Coronavírus: Paradas LGBT+ de todo o mundo se unem para fazer evento global online

Ser você mesmo e permitir que os outros sejam iguais não se trata de projetar e se impor aos outros. É também ouvir e ficar curioso sobre a verdade de que somos todos diferentes e temos algo a oferecer.

Todos devemos aprender um com o outro e mudar coisas que não funcionam para nós. Sinta-se mais confiante em tornar os locais em que trabalhamos profissionais, respeitosos, atenciosos e criativos.

Represente as pessoas que não estão na sala e precisam que falemos com sentido e com a realidade de suas vidas.

É por isso que estou apoiando a campanha My Whole Self – porque quando comecei a trazer todo o meu eu para o trabalho, me senti mais leve. Eu me senti aceita, valorizada, enérgica e muito mais feliz. Não perdi mais tempo editando a mim mesma e pude continuar o trabalho em mãos.

Como parte da campanha My Whole Self, os locais de trabalho em todo o país estão incentivando as pessoas a construir conexões mais profundas com os colegas, em um momento em que milhões de pessoas caminham para o trabalho remoto.