Em 2020, sabemos que menstruação não é uma exclusividade apenas das mulheres, certo? Há homens trans, pessoas não binárias e mulheres cis que não menstruam também! Pensando nisso, foi criado na Inglaterra um abaixo assinado pra que mercados e farmácias se atualizem também em relação aos absorventes que vendem.

A petição, que já reúne mais de 11 mil assinaturas, pede estabelecimentos comerciais deixem de classificar a sessão onde encontramos quaisquer produtos relativos à menstruação, como “feminina” ou “produtos femininos”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Estamos pedindo que mudem a sinalização de seus produtos nas lojas de ‘higiene feminina’ para ‘produtos menstruais’, por exemplo. A palavra ‘feminino’ pressupõe que toas as pessoas que menstruam e usam absorventes são femininas… Há homens trans, mulheres cis e trans não femininas e pessoas não-binárias que também menstruam!”, lembrou o texto que convida pessoas a assinarem a petição.

Absorventes são produtos femininos? Petição lembra: são produtos menstruais. (Foto: Reprodução / Internet)
Absorventes são produtos femininos? Petição lembra: são produtos menstruais. (Foto: Reprodução / Internet)

A justificativa continua: “Achamos que é hora de nossa sociedade começar a chamar o produto pelo que é. Então poderemos começar a ter uma conversa madura e respeitosa sobre a biologia por trás da menstruação e tirar um pouco da ignorância no assunto”.

A rede de supermercados da Nova Zelândia, Countdow foi a primeira a atender o pedido. Alguns varejistas online do Reino Unido também alteraram o nome do corredor de seus produtos, como a Abel e Cole e Ethical Superstore.

Se você concorda com a petição sobre o rótulo da sessão de absorventes e quer assiná-la para ajudá-los a atingir 15 mil assinaturas, clique aqui.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).