O Ministério da Saúde decidiu incluir pessoas vivendo com HIV que tenha, que tenham entre 18 e 59 anos, nos os grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19. O anúncio ocorreu 70 dias após o início oficial da vacinação no Brasil. Anteriormente, a pasta previa prioridade apenas para pessoas com HIV e CD4 menor 350.

A primeira decisão chegou a ser elogiada por membros do movimento AIDS ouvidos pela agência AIDS. A nova nota técnica do Ministério prevê a vacinação do novo grupo após o encerramento da imunização de pessoas entre 60 e 64 anos. Segundo a pasta, a intenção é “reduzir o impacto da pandemia nesse grupo, especialmente em relação ao risco de hospitalização e óbito, e respeitar o conceito de equidade do Sistema Único de Saúde (SUS).

Saúde inclui pessoas vivendo com HIV em grupo prioritário de vacinas
Saúde inclui pessoas vivendo com HIV em grupo prioritário de vacinas (Foto: PIXABAY)

O ministério afirma ainda que segue ” novas evidências científicas” que apontam riscos de “desfechos negativos da covid-19” neste grupo.  O grupo deve receber as doses na mesma etapa em que serão vacinados os que apresentam comorbidades como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares.

A Saúde não estimou quantas pessoas devem ser inseridas no novo grupo de vacinação. A pasta informa que pessoas  que vivem com HIV e acima dos 60 anos não foram incluídas, pois já estão contempladas nos grupos prioritários de faixa etária.