A polícia rastreou o dono de um pênis e testículos decepados durante um ritual de castração e armazenados no freezer de um homem. Ryan Andrew King foi acusado de lesão corporal grave com intenção de mutilar em julho de 2020, após cortar o testículo de um homem em um albergue em Brisbane, Austrália.

Segundo o Mail Online, uma segunda vítima de 28 anos, que conheceu King em um app de encontros, precisava de atendimento médico de emergência para impedir que a hemorragia progredisse durante a castração, e foi então que o encontro dos dois desandou. Paramédicos foram chamados ao albergue para tratar a vítima e a polícia vasculhou a casa de King em West End no dia seguinte.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Dentro de um freezer em sua casa, os policiais encontraram um pênis e um testículo de de outro homem diferente e desconhecido onde realizaram a busca. Por meio de suas investigações, que incluíram a observação de imagens da GoPro de King, a polícia rastreou a outra suposta vítima, relatou o The Courier-Mail.

VEJA TAMBÉM:  Personagem de “Resident Evil 3” aparece com pênis realístico em novo jogo

King viajou para Melbourne em 2018 para realizar a cirurgia consensual para a vítima. Ele supostamente removeu o pênis e um testículo do homem de 66 anos e depois voltou para casa em Brisbane com eles, armazenando-os em seu freezer por até dois anos. A dupla supostamente se encontrou novamente em 2 de setembro de 2019 em um hotel em Loganholme, onde King removeu o outro testículo.

Ritual de castração foi consensual

O homem de 66 anos nunca reclamou à polícia sobre o procedimento, mas visitou o Hospital Logan para tratamento. Ele só foi encontrado pela polícia depois de investigar as imagens da GoPro de King e seu histórico online. A polícia alega que King usou um bisturi em Loganholme, enquanto um Cyropen – que remove lesões de pele – era a ferramenta para o procedimento no do albergue.

O homem cujos órgãos genitais foram removidos no albergue jogou seu próprio testículo no vaso sanitário após o suposto ritual de castração, afirma a polícia. King foi processado em uma segunda acusação de lesão corporal grave com a intenção de mutilar em 22 de setembro e só agora as ações se tornaram públicas.