Um homem gay chamado Kious Kelly, de 48 anos e que vive em Manhattan, é o primeiro enfermeiro a morrer vítima do coronavírus na cidade de Nova York, informou o jornal The New York Times.

Kelly informou sua irmã, Marya Patrice Sherron, em 18 de março que havia testado positivo para o novo coronavírus e estava respirando com a ajuda de um ventilador na UTI. Embora já tenha tido asma na vida, ele era tido como um homem extremamente saudável e faleceu na última terça-feira.

Funcionários do Mount Sinai West foram à mídia para protestar sobre a falta de equipamentos de proteção individual (EPI), como máscaras e vestidos, o que teria contribuido para a infecção por COVID-19 de Kelly. Antes do teste positivo, Kelly foi visto atendendo pacientes sem o material adequado.

A fatalidade pegou todos de surpresa. Ele chegou a mandar mensagens de texto para amigos dizendo que estava bem e se cuidando.

Ao relatar a morte de Kelly, o New York Post incluiu uma imagem dos funcionários do hospital vestindo avental envolto em sacos de lixo. O Monte Sinai West supostamente teve “problemas com suprimentos há cerca de um ano”, disse uma fonte ao Post.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
This undated photo provided by Marya Sherron shows Kious Kelly. Kelly, an emergency room nurse at the Mount Sinai West Hospital in New York, died Tuesday, March 24, 2020, after a bout with the new coronavirus.
Kious Kelly, vítima fatal do coronavírus.

“Kious não merecia isso”, disse uma enfermeira que preferiu manter o anonimato. “O hospital deve ser responsabilizado. O hospital o matou ele”.

Nova York emergiu como epicentro da pandemia do COVID-19. Na quinta-feira de manhã, 385 pessoas haviam morrido e 5.327 haviam sido hospitalizadas no estado, com 37.258 casos confirmados. Os números estão aumentando exponencialmente. O governador Andrew Cuomo deu briefings diários, descrevendo os perigos da falta de EPIs e respiradores diante da crescente crise.

Kelly cresceu em Lansing, Michigan. Ele se mudou para Nova York há mais de 20 anos com o sonho de se tornar bailarino  antes de se mudar para a área da saúde. Sua página no Facebook mostrava interesse pelas artes cênicas, Rupaul’s Drag Race e pela literatura de Alice Walker.

Muitos amigos compartilharam boas lembranças de Kelly nas mídias sociais. “Ele sempre levava consigo um bloco de notas e uma caixa de chocolates e balas pra doar a enfermeiras e médicos mais cansados e famintos nos plantões”, disse Joanne Loo, uma uma enfermeira do Mount Sinai West. “Ele espalhava alegria e amor exatamente como o mundo precisa. Ele era um herói enfermeiro para os pacientes e enfermeiros com quem cruzou o caminho. Sua morte dói em todos nós.”

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).