Um homem no Estado de Indiana, – EUA, ganhou um processo federal contra seus pais, que destruíram sua extensa coleção de pornô. (errado não está).

David Werking, 42, entrou com o processo no ano passado contra seus pais – Paul e Beth Werking, de Grand Haven, Michigan – no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, no distrito oeste de Michigan.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Segundo o The Star Press, ele disse que depois de morar com seus pais por um período em 2016 e 2017, eles destruíram várias caixas de materiais que ele havia deixado em sua casa, incluindo DVDs, fitas VHS e brinquedos sexuais.

“A maioria do conteúdo era de natureza pornográfica”, disse o processo. “Nenhuma das propriedades era ilegal por natureza.”

Nas últimas semanas, o juiz do Tribunal Distrital dos EUA, Paul Maloney, concedeu a moção de David Werking para um julgamento sumário, determinando que os pais do homem de Muncie devem pagar pela destruição de sua coleção.

VEJA TAMBÉM:  Homem trans grávido processa Amazon após sofrer discriminação e assédio na empresa

O juiz rejeitou a alegação dos pais de que David Werking havia “abandonado sua propriedade”. O homem de Muncie e seus pais tiveram até meados de fevereiro para “apresentar petições por escrito sobre a questão dos danos”.

Werking havia estimado anteriormente o valor de sua coleção de pornografia em mais de US$ 25.000. O processo se referia a um e-mail de janeiro de 2018 que Paul Werking supostamente enviou para seu filho.

Pai diz que fez favor ao filho ao destruir pornô

“Eu não possuo sua pornografia”, dizia em parte. “Já se foi. Ele foi destruído ou descartado. Posso ter perdido alguns itens que agora estão em sua posse, mas, neste momento, se você não os tiver, ele se foi. O mesmo vale para seus brinquedos sexuais e revistas obscenas.”

Em outro ponto, o pai Werking supostamente escreveu: “Francamente, David, eu te fiz um grande favor ao me livrar de todas essas coisas para você”. O escritório do promotor em Ottawa County, Michigan, se recusou a abrir acusações criminais no caso.