A plataforma pornô Pornhub lançou o documentário da cienasta Leilah Weimraub, “Shakedown”, nesta quarta-feira (4).

O site Variety, que foi o primeiro a ter acesso ao empreendiemnto, descreveu a obra como “uma narrativa de não-ficção e consciência sobre as mulheres e homens queer que povoaram a cena de clubes de strip-tease em Los Angeles”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O filme acompanha mulheres lésbicas e negras em Los Angeles, que se encontram no mundo criado por dançarinos de salão cisgêneros.

“Sinto que isso complica a história das subculturas, como Los Angeles”, disse Weinraub. “Sinto que esse era meu objetivo era reorientar a colocação dessas culturas na história, não é colocar um dedo nelas, mas complexificar e aumentar a sua riqueza ”, acrescenta.

O documentário vem em um momento que a plataforma Pornhub, que teve cerca de 42 bilhões de visitas no ano passado, procura diversificar seu conteúdo .

“Shakedown” foi apresentado em uma exposição no Museu Whitney de Arte Americana, em Nova York, e também foi exibido no Museu de Arte Moderna (MoMA).

Os usuários do Pornhub que desejam assistir ao novo documentário precisam acessar a plataforma em março. o documentário será gratuita durante todo esse mês, a partir disso ele passa a ser veiculado no canal Critério e chega ao iTunes no verão.

A cienasta disse à Variety que espera envolver os usuárias do Pornhub com o novo documentário. “No momento, há uma excelente oportunidade de apresentar filmes no espaço artístico, mais abertura à diversidade e ao conteúdo e um tipo diferente de narrativa”, afirma ela.

O diretor de publicidade da Pornhub, Alex Klein, disse que o filme faz parte do compromisso da plataforma de streaming de apoiar as artes.

“Queremos ser vistos como uma plataforma que artistas e criadores podem usar. Vimos artistas em geral fazer upload de conteúdo para o site, já que permitimos a nudez, diferente do Youtube e Vimeo. Para nós, estrear um longa-metragem é o primeiro passo para expandir. Estamos muito animados com isso”, disse Klein.

A empresa de pornografia deu ao documentário sua própria página independente, onde um fórum de bate-papo será aberto aos telespectadores. Weinraub também fará check-in uma vez por semana para conversar com os espectadores sobre o documentário no chat online.

Matéria traduzida do site Pink News. Para ler a versão original em inglês, clique aqui.