Em tempos de tanto fake news e muita gente votando em presidenciável que promete acabar com a corrupção, sendo que já deu provas de que fez parte da mesma em seus mais de 30 inúteis anos como deputado (funcionários fantasma, depósitos da JBS, enriquecimento ilícito, colocar toda família na política e por aí vai), é sempre bom reavivarmos a memória pra não nos esquecermos de quem são as pessoas, certo.

Pois bem. Aproveitando então pra lembrar a todos e informando quem não sabe dessa história bizarra: Uma reportagem do portal G1 já revelou que o vereador do Rio de Janeiro pelo PSC, Carlos Bolsonaro, filho do presidenciável Jair Bolsonaro, foi co-autor de um projeto de lei que pretende dar a sua classe política, salário vitalício.

Com a medida, quem quer que fosse eleito vereador da cidade do Rio de Janeiro, teria um salário de R$ 15 mil reais pela vida toda. É isso mesmo.

Não é preciso ser muito inteligente e nem ter feito direito pra entender que, caso fosse aprovada essa bizarrice, iria servir de jurisprudência pra qualquer político brasileiro querer ganhar salário vitalício, né? Detalhe: eles querem cortar aposentadoria do povo dizendo que não tem dinheiro. Mas aí tem dinheiro pra ficar pagando político vagabundo sem trabalhar a vida toda?

O projeto de lei foi criado pelo vereador João Cabral (PMDB) e teve a assinatura, além de Carlos Bolsonaro, de outros 34 vereadores.

Cariocas, anotem bem os nomes para nunca mais votarem nestes:

  • João Cabral
  • Alexandre Isquierdo
  • Átila A. Nunes
  • Carlo Caiado
  • Carlos Bolsonaro
  • Chiquinho Brazão
  • Dr.Carlos Eduardo
  • Dr.Eduardo Moura
  • Dr.Jairinho
  • Dr.João Ricardo
  • Dr.Jorge Manaia
  • Edson Zanata
  • Eduardão
  • Eliseu Kessler
  • Jimmy Pereira
  • João Mendes de Jesus
  • Jorge Braz, Jorginho da SOS
  • Laura Carneiro
  • Leila do Flamengo
  • Leonel Brizola
  • Marcelino D’almeida
  • Marcelo Arar
  • Marcio Garcia
  • Paulo Messina
  • Prof.Uoston
  • Prof. Célio Lupparelli
  • Professor Rogério Rocal
  • Rafael Aloisio Freitas
  • Rosa Fernandes
  • Tânia Bastos
  • Thiago K. Ribeiro
  • Veronica Costa
  • Willian coelho
  • Zico

O projeto de lei quase foi votado no dia 27 de outubro quando foi proposto e só foi adiado por falta de quórum. Após a repercussão negativa do caso e exposição na imprensa, acabou sendo arquivado, conforme também informou o portal G1.

De qualquer forma, é sempre bom ficarmos de olho porque é 1, 2 pra voltar à tona este tipo de projeto, principalmente pra ser aprovado na surdina enquanto o país está parado preocupado com outros problemas ainda mais relevantes.

Tentando defender essa bizarrice, o vereador João Cabral afirmou que o projeto é uma questão de “justiça, de igualdade pois ele não foi reeleito pra um próximo mandato”. Sim, é isso mesmo que ele disse, gente.

Perguntado pelo jornal Estado de São Paulo por qual razão apoiou um projeto desses, Carlos Bolsonaro afirmou apenas: “Sou apenas o co-autor”, lavando as mãos.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).