Cumprindo a promessa de janeiro de 2020, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, iniciou um processo de reforma da constituição do país, que é de 1993.

Entre as mudanças, estão inclusão a menção de Deus na Constituição e estabelecimento de que o casamento só é possível entre um homem e uma mulher.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A medida, apresentada na Câmara Baixa do Parlamento (Duma), foi vista como uma ação destinada a preparar o que virá após 2024, ano no qual termina o seu quarto e último mandato presidencial de Putin.

Essas emendas constitucionais foram aprovadas pelos deputados por unanimidade durante a primeira leitura. Putin apresentou ainda 24 páginas suplementares antes da segunda leitura, considerada a mais importante, prevista para o próximo 10 de março.

VEJA TAMBÉM:  Sorveteria russa é acusada de "promover homossexualidade" por usar arco-íris em propaganda

A Rússia não está entre os países que criminalizam os LGBT+, mas possui leis de censura que dificultam a vida comunidade do país, como a que proíbe a chamada “propagando gay”. Além disso, o país é reconhecido como um dos mais perigosos para as pessoas LGBT+ viverem.