Pete Buttigeg anunciou que está suspendendo sua campanha poucas horas antes da crucial Super Terça-Feira, na qual 15 estados decidirão qual candidato estão apoiando.

O anúncio foi um choque para muitos, provocando especulações acirradas de especialistas e eleitores sobre o motivo pelo qual ele havia desistido tão cedo da corrida.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A seguir, reunimos algumas das teorias mais plausíveis:

Pete desistiu para unir a ala moderada dos democratas

No discurso de Buttigieg, ele sinalizou que estava desistindo para ajudar o centro a derrotar a esquerda na batalha pela alma do partido. “Nosso objetivo sempre foi ajudar a unificar os americanos para derrotar Donald Trump e vencer por nossos valores. E, portanto, devemos reconhecer que, neste ponto da corrida, a melhor maneira de manter a fé nesses objetivos e ideais é se afastar e ajudar a unir nosso partido e nosso país”, afirmou durante o discurso de retirada.

Ele fez um acordo com outro candidato

VEJA TAMBÉM:  Pré-candidato à presidência dos EUA conta como e por que saiu do armário

Craig Melvin, âncora do MSNBC e Today Show, sugeriu que a decisão de Buttigieg de desistir é mais do que apenas organizar a votação, twittando que a equipe do ex-candidato estava conversando com Joe Biden “sobre a consolidação do apoio”. Ele acrescentou que os candidatos não falaram diretamente, mas “trocaram mensagens de voz porque estão viajando”.

A partir da afirmação, emergiram especulações de que Biden anunciará Buttigieg como seu companheiro de chapa, embora ele também possa ter negociado um acordo para uma possível posição no gabinete.

Se um ingresso de Biden-Buttigieg se tornasse realidade, isso pressionaria Elizabeth Warren a colocar seu peso atrás de Bernie Sanders e unir os eleitores mais a esquerda em torno de um único candidato.

VEJA TAMBÉM:  Homofóbica vota em Pete Buttigieg e fica horrorizada ao saber que ele é gay; assista

Buttigieg estava ficando sem fôlego

Buttigieg deu o primeiro choque da corrida democrata quando conquistou uma vitória estreita nas eleições de Iowa. De repente, ele se tornou um concorrente sério, com a vitória antecipada dando um novo impulso à campanha e levando-o a ter mais sucesso em New Hampshire, onde empatou com Sanders.

Esse impulso inicial vacilou em Nevada, onde ficou em terceiro, e na Carolina do Sul, em que terminou em quarto, apenas um dia antes de anunciar sua saída. Além disso, várias pesquisas previram que a Super Terça-feira seria o ponto em que a campanha de Buttigieg saíria de vez dos trilhos, indicando que ele desistiu para salvar o rosto.

Ele não conseguiu conquistar os negros e latinos

O mandato de Pete como prefeito, que terminou em 1º de janeiro de 2020, foi alvo de críticas pela falta de diversidade na polícia e pela morte de um morador negro, baleado por um guarda. Suas duas derrotas, em Nevada e Carolina do Sul, indicam a dificuldade de Buttigieg para se manter em alta nos estados com perfis demográficos mais variados.

VEJA TAMBÉM:  Bernie Sanders desiste da corrida presidencial e Joe Biden é quem vai enfrentar Trump nas eleições

Nos EUA, 19% do eleitorado democrata se identifica como negro, 22% como hispânicos e outros 19% como asiáticos ou “outros”.  

Ele vai tentar a presidência nos próximos anos

Se Buttigieg tivesse ganho a indicação e vencido Trump em novembro, ele se tornaria o presidente mais jovem da história. Com apenas 38 anos, Buttigieg ainda está relativamente adiantado em sua carreira política. Fato que ele tentou usar a seu favor durante uma série de debates.

Gabriel Debenedetti, da New York Magazine, sugeriu que sua decisão de sair da corrida antes de um possível derrota vergonhosa na Super Terça-feira “preserva, assim, grande parte de sua reputação e estatura política para o futuro”.

Matéria traduzida do site Pink News. Para ler a versão completa em inglês, acesse aqui.