O parlamento da Polônia deve votar um projeto de lei que permite colocar professores na cadeia por ensinar educação sexual a estudantes.

O país não possui um currículo de educação sexual necessário para as escolas públicas, mas a medida que entra em votação imporia uma penalidade de até três anos de prisão para os professores que fornecem educação sexual para crianças.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A medida ainda vincula pedofilia e homossexualidade, uma vez que o texto do projeto sobre por que a educação sexual é ruim declara que os professores de educação sexual “cuidam e familiarizam as crianças com a homossexualidade”.

“Na Europa Ocidental, membros desses movimentos envolvidos na implementação da educação sexual nas escolas foram condenados por pedofilia”, afirma o documento.

VEJA TAMBÉM:  Homofóbico, presidente da Turquia diz que “é fato que homossexualidade traz doenças”

Ola Kaczorek, ativista LGBT+ que trabalha com a organização “Love Does Not Exclude”, disse à Reuters que “isso tornaria impossível para nós, como educadores, entrar nas escolas e ensinar crianças sobre seres humanos, sobre o que nos faz e o que é identidade de gênero ou orientação sexual”.

“Normalmente, a escola não é um ambiente amigável para crianças não-heterossexuais, mas agora será ainda mais difícil”, acrescenta a ativista.

A lei é apoiada pelo Partido de Direito e Justiça (PiS), de extrema-direita e anti-LGBTQ, mas foi levada ao Parlamento por meio de uma petição popular, já que a constituição polonesa permite que os cidadãos proponham projetos de lei no Parlamento se puderem obter mais de 100.000 assinaturas em apoio.

VEJA TAMBÉM:  Países LGBTfóbicos, Hungria e Polônia perdem status de nações com democracias consolidadas