A Síria está há anos em meio a uma guerra civil que parece não ter fim. Pra quem é LGBTQ+ e vive no país, é um verdadeiro inferno na terra.

Além de ter que lidar com condições precárias de vida e se refugiar constantemente, pessoas LGBTQ+ tem que tomar cuidado para não serem apreendidas pelo governo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Um relatório da Human Rights Watch revelou que homens gays e bissexuais, além de mulheres trans, estão sofrendo violência sexual.

“Desde que o conflito da Síria começou em março de 2011, homens, garotos e mulheres transgênero estão sendo submetidos a estupro e outras formas de violência sexual pelo governo sírio e grupos armados, incluindo os extremistas do Estado Islâmico. Homens e garotos heterossexuais estão vulneráveis a violência sexual na Síria, mas homens que são gays ou bissexuais – ou pareçam ser – e mulheres trans, estão particularmente em risco.” 

A HRW entrevistou 44 sobreviventes deste grupo, que voaram até o Líbano. Eles descreveram abusos horríveis, incluindo penetração de objetos e assédio.

Muitos desses sobreviventes tem sérias lesões, resultando em sangramento retal ou dor no reto e nas genitálias. Alguns podem ter contraído ISTs, incluindo HIV. Eles também estão sofrendo de depressão, estresse pós-traumático, e outras consequências mentais.

Infelizmente, vários estão relutantes a procurar atendimento médico por causa do medo e da falta de confiança.

 

Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.