Sem mais nenhuma causa relevante para lutar por um país assolado em pandemia e desemprego, o deputado Léo Motta (PSL – MG) está tentando aprovar uma lei de sua autoria que permitiria a líderes religiosos recusarem batizar filhos de casais de gays e lésbicas.

O projeto de lei nº 4.892/2020 diz: “A recusa por parte de líderes religiosos devidamente credenciados por suas ordens religiosas, em virtude de suas convicções e à luz dos preceitos que esposam, a realizar batismos, casamentos ou outras cerimônias religiosas envolvendo pessoas assumidamente homossexuais não caracteriza homofobia ou transfobia e não está sujeita a qualquer pena.”

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

É curioso constatar que um religioso que se negue a batizar uma criança estaria indo contra a própria palavra de Jesus, né? Amar ao próximo e não julgar. Dois mandamentos máximos da Bíblia… Mas para Léo Motta, aparentemente o importante é garantir o direito a discriminar.

VEJA TAMBÉM:  Cura gay: pesquisadora defende a volta da prática no Reino Unido
Deputado Federal Léo Motta: sem nada mais útil pra fazer pelo Brasil. (Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados)
Deputado Federal Léo Motta: sem nada mais útil pra fazer pelo Brasil. (Foto: Divulgação / Câmara dos Deputados)

Em sua defesa, o deputado homofóbico diz que, embora o STF tenha decidido enquadrar homofobia e transfobia como crime equiparável ao racismo, “não existe norma legal que defina aqueles tipos penais e muito menos que estabeleça, para eles, os critérios de individualização das penas”.

Se aprovado, o projeto de lei também valeria para qualquer outro tipo de cerimônia religiosa além de batismo, como por exemplo, crisma ou primeira comunhão, que poderia ser recusada caso tenha presença de pessoas LGBTs envolvidas.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).